No Rio, a cultura em defesa das liberdades democráticas

Detalhe de ato-show na Lapa

PSTU-RJ promove sessão de vídeo e ato-show como parte da campanha contra a criminalização dos movimentos sociais e pelo fim dos processos contra os presos do ConsuladoNem só de atos públicos e debates vive a política. No Rio de Janeiro, o PSTU promoveu, no último dia 15, uma sessão de vídeo e um ato-show, parte da campanha em defesa das liberdades democráticas e pelo fim dos processos contra os 13 ativistas presos durante o protesto contra a vinda de Obama ao Brasil em março.

O filme exibido na sede do partido não poderia ser mais apropriado. Cerca de 70 pessoas acompanharam a exibição de “Z”, obra do diretor Costa-Gravas. O filme, adaptação do romance de Vassilis Vassilikos, se passa na Grécia dos anos 60 e mostra a organização de militantes antiimperialistas contra a instalação de mísseis norte-americanos no país.

Um deputado envolvido na organização é atropelado e morto, e os militantes são perseguidos no que vai se revelar uma trama envolvendo o governo grego. Pouco tempo depois viria o golpe que instalaria um governo militar no país. Estudantes, ativistas e militantes de movimentos sociais acompanharam o filme, relacionando no debate o processo de criminalização vivido hoje no país.


Público atento ao filme durante vídeo-debate

Show no Lapa
Logo depois, à noite, ocorreu um ato-show no tradicional bairro carioca da Lapa, conhecida área boêmia da cidade. Música e denúncia política atraíram atenção das pessoas que passava pelo bairro, muitas delas se misturaram aos ativistas, reunindo algo como 150 pessoas no momento de maior aglomeração.

Participaram o grupo de samba “Ribeirinho”, famoso pelas composições que se tornaram conhecidas na voz de Zeca Pagodinho, além do grupo piauense Validuaté, dono de um som contemporâneo e inteligente, que agitou o show até as 1h30.