Não vamos aceitar um negro da Casa Grande à frente da Fundação Palmares

Secretaria Nacional de Negras e Negros do PSTU

Nessa quarta-feira, 27 de novembro, fomos surpreendidos com a nomeação de Sérgio Camargo para a presidência da Fundação Palmares, órgão ligado à Secretaria da Cultura do Governo Federal, e responsável pela promoção da cultura afro-brasileira.

Mas, afinal, quem é Sérgio Camargo?

Sérgio é um militante da extrema-direita bolsonarista que ganhou destaque por negar a existência do racismo no país e por atacar os movimentos negros e qualquer personalidade que denunciasse a discriminação racial e a violência do Estado contra os negros.

Eis aqui algumas das frases proferidas por Sérgio Camargo para entendermos um pouco de que tipo de sujeito se trata: “Cotas raciais para negros são mais do que um absurdo….”; “O Dia da Consciência Negra “celebra” a escravização de mentes negras pela esquerda. Precisa ser abolido!”; “No Brasil de hoje Zumbi seria um bandido ou defensor de bandido, integrante do MST”; “É inacreditável que tenham tentado ligar nosso presidente ao assassinato dessa mulher sem valor. É preciso que Marielle morra, só assim ela deixará de encher o saco!”.

Ou seja, Sérgio Camargo é o típico capitão do mato que se coloca à serviço dos senhores da Casa Grande para atacar e perseguir o povo negro. Por isso, ele foi nomeado por Jair Bolsonaro para a Presidência da Fundação Palmares, se juntando a Damares, uma mulher que ataca as mulheres trabalhadoras e suas conquistas, se juntando a Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente condenado por crimes ambientais, Roberto Alvim, Secretário da Cultura que quer acabar com a liberdade de expressão e com a produção artística brasileira, e a Abraham Weintraub, Ministro da Educação que corta dinheiro da Educação Pública e persegue estudantes e professores!

 

Negros a serviço da burguesia não são nossos irmãos

A nomeação de Sérgio Camargo só reforça a conclusão de que não basta só ser negro: é preciso lutar contra o racismo e contra o capitalismo. Sérgio Camargo é mais um oportunista que coloca a sua cor à serviço dos mandos e desmandos de Jair Bolsonaro e seu governo corrupto. Sua presença confunde o debate sobre o racismo no país e, ao mesmo tempo, blinda o governo das acusações de racismo, como o faz o deputado federal Hélio “Negão”, chamado pelo próprio Bolsonaro de sua “sombra”.

Vale lembrar que, durante sua campanha à presidência, Bolsonaro dizia que suas nomeações obedeceriam a critérios “técnicos” e não “ideológicos”. Isso não passou de uma conversa fiada completamente desmentida pela realidade. Afinal, Bolsonaro colocou, não só, pessoas “tecnicamente” despreparadas para os cargos que assumiram, como completamente ideologizadas: eles têm uma ideologia da burguesia e, por isso, odeiam a classe trabalhadora, odeiam as mulheres, os negros e as LGBTs.

Portanto, exigimos a imediata exoneração de Sérgio Camargo da Presidência da Fundação Palamares! Não vamos tolerar esse insulto à história de luta do povo negro brasileiro! Nem vamos permitir o avanço do autoritarismo deste governo. Não vamos permitir que uma mão, negra ou branca, empunhe o chicote contra o nosso povo!

Fora Sérgio Camargo!

Fora Roberto Alvim!

Fora Weintraub!

Basta de Bolsonaro e Mourão!

 

Negros
Negros que escravizam

e vendem negros na África

não são meus irmãos

 

negros senhores na América

a serviço do capital

não são meus irmãos

negros opressores

em qualquer parte do mundo

não são meus irmãos

Só os negros oprimidos

escravizados em luta por liberdade

são meus irmãos


Para estes tenho um poema

grande como o Nilo.

(Solano Trindade, em “Cantares ao meu povo”. São Paulo: Fulgor, 1961)