Movimento contra a guerra promove atos neste sábado, dia 15

Em todo o mundo avança a luta contra agressão militar do imperialismo norte-americano ao Iraque. Depois do 15 de fevereiro, seguiram ocorrendo importantes manifestações. A onda da luta contra a guerra teve um novo pico no 8 de março, Dia Internacional da Mulher.

A reunião da Coordenação Internacional Contra a Guerra, ocorrida no último dia primeiro em Londres, e que contou com participação de Dirceu Travesso, membro da Executiva Nacional da CUT e militante do PSTU, declarou-se contra a agressão imperialista com ou sem o apoio da ONU e aprovou um novo calendário internacional de luta.

Além de greves na Europa, ações para impedir o envio de tropas e armamentos e do indicativo de atos se o Iraque for atacado, a plenária aprovou a realização de manifestações em centenas de cidades para este sábado, no dia 15 de março. Em Washington, uma grande passeata, organizada pelo “Movimento contra a Guerra nos EUA“, irá em direção à Casa Branca. Na Grécia, em Atenas, será realizada uma grande manifestação em frente a reunião dos Ministros de Defesa dos países europeus.

No Brasil, há atos confirmados em São Paulo e no Rio de Janeiro. Os cariocas começam o ato mais cedo, com uma vigília nos Arcos da Lapa, a partir das 22h desta sexta, 14 de março. O ato contará com apresentações de teatro e de artistas da cidade. Em São Paulo, a concentração da passeata será na Avenida Paulista, em frente ao MASP, às 15h. A passeata está prevista para sair uma hora depois, em direção ao Parque Ibirapuera, onde, após o ato de encerramento, os manifestantes assistirão ao show de Tom Zé. Os militantes do PSTU de São Paulo estarão se encontrando na Praça Oswaldo Cruz, em frente ao Shopping Paulista, às 14 horas.