Moradores do Pinheirinho realizam plenária para organizar resistência

Moradores demonstraram que estão organizados e preparados para defender suas casas e vidas
Fotos: Kit

Após reunião com entidades, Juíza mantém reintegração de posse. Mas nova reunião será realizada no dia 13.Milhares de moradores do Pinheirinho realizaram uma plenária no início da noite desta quarta-feira para preparar a resistência contra reintegração de posse determinada pela “Justiça”.

Ao longo do dia, o clima foi de enorme tensão, com policiais da tropa de choque intimidando os moradores numa clara ação provocadora. Por volta das 15h, automóveis da Polícia Militar pararam em frente da ocupação do Pinheirinho. Um grupo de aproximadamente dez policiais militares desceu dos carros munidos de escudos, escopetas e outros equipamentos da Tropa de Choque, formando uma linha de policiais.

Atrás dos PMs, havia um oficial de justiça lendo o mandado de desocupação do terreno. No entanto, nenhum morador do Pinheirinho sequer chegou a ver o oficial. Nem mesmo a imprensa conseguiu ouvir o que o homem dizia. Conhecer o texto da ordem de despejo e ouvir a sua leitura era um direito daqueles trabalhadores.

Na emocionante plenária, os moradores mostraram toda sua revolta contra a ação da “Justiça”, da polícia e da Prefeitura de Eduardo Cury (PSDB). Em clima de resistência uma massa enorme de trabalhadores fincou o pé e disse que vai ficar. A cada fala, ouvimos os gritos de luta e as ovações. “O Pinheirinho vai ser o Vietnã do PSDB”, disse Durval Junior, do PSTU.

Respiro
Antônio Ferreira, o Toninho, advogado dos moradores, informou os resultados da reunião que, após muitas tentativas, a juíza Márcia Loureiro, finalmente aceitou realizar. O advogado informou que a juíza se recusa a ceder e revogar a reintegração de posse, pois, segundo ela , “é uma área de muito valor”. Os representantes do movimento e um padre que estavam na reunião rebateram e questinoram a juíza sobre qual seria então o valor de uma vida.

Alertaram que a insanidade e irresponsabilidade da Prefeitura do PSDB e da Justiça provocariam uma tragédia em São José dos Campos. “Quero deixar bem claro que, caso aconteça uma tragédia na cidade, a responsabilidade será toda da Prefeitura e do judiciário”, disse o assessor da Secretaria Geral da Presidência da República, Wlamir Martines, presente na reunião.

No entanto, nada foi resolvido. Irredutível, a juíza manteve a ordem de reintegração. Mas uma nova reunião entre a juíza ficou agendada para a próxima sexta-feira, dia 13, às 10h, na sede da OAB, em São José. A reunião contará com a presença das três esferas de governo (municipal, estadual e federal), representantes do Ministério das Cidades, OAB, CDHU e dos movimentos social e sindical.

Pela manhã, milhares de moradores se concentraram na estrada principal. Eles aguardavam a comitiva que vinha visitar a ocupação, avaliar a situação. Faziam parte da comitiva, o defensor público de São José, Jairo Salvador dos Santos, o vereador Tonhão Dutra (PT), Toninho, advogado do movimento e Wlamir Martines.

ASSISTA AO VÍDEO DA ASSEMBLEIA (Fonte: Sindmetal-SJC):