Mentiram para você: meio bilhão do fundo eleitoral virá da saúde e educação

Lembra daquela história de que o tal fundo bilionário que criaram com a reforma eleitoral para financiar as campanhas milionárias dos políticos não teria dinheiro das áreas sociais? Pois é, mentiram mais uma vez. O fundo de R$ 1,7 bilhão vai tirar pelo menos meio bilhão da saúde e educação, segundo levantamento do jornal Estado de S. Paulo publicado nesta segunda, 8.

Da educação serão tirados R$ 121,8 milhões, e da saúde R$ 305,5 milhões. Esses recursos vêm de emendas destinadas às bancadas parlamentares, de pagamento obrigatório. Se por um lado é dinheiro que em via de regra serve para comprar deputados, como Temer fez durante a votação das denúncias contra ele na Câmara, e vem fazendo agora em relação à reforma da Previdência, por outro, mal ou bem, ia para construção de escolas ou postos de saúde das bases eleitorais dos seus chegados. Se não fosse embolsado pelo picareta, lógico.

Cálculo do jornal dá conta ainda que, com a dinheirama que saiu da saúde, daria para construir 159 Unidades de Pronto-Atendimento (UPA’s) com sete leitos, dois médicos com capacidade de atendimento de 150 pessoas ao dia, ou financiar 859 Unidades Básicas de Sáude (UBS’s). Já o dinheiro que está sendo desviado da educação equivale ao total que o governo repassou ano passado para equipar e construir creches.

Serão afetadas ainda obras contra a seca, infraestrutura e recursos da segurança pública. A Universidade Federal do Acre vai perder R$ 6 milhões e a Universidade Federal do Amapá não terá mais R$ 27 milhões que seriam utilizados para terminar obras do Hospital Universitário.

Uma reforma antidemocrática
A desculpa para a aprovação desse fundo bilionário é a proibição do financiamento de empresas privadas. Mas alguém acredita que as empreiteiras, os bancos e as grandes empresas vão deixar de influir nas eleições e despejar muita grana em seus candidatos e partidos? Agora, além do dinheiro dos banqueiros e empresários, os políticos picaretas dos principais partidos desse Congresso Nacional terão o dinheiro da saúde e da educação para continuarem mentindo ao povo e se perpetuando no poder.

Outros pontos da reforma eleitoral estão a cláusula de barreira, que retira o tempo de TV e rádio dos partidos ideológicos como o PSTU, PSOL e PCB. Tudo para manter os mesmos partidos corruptos no poder.

LEIA MAIS

Reforma política beneficia reeleição de corruptos e ataca PSTU, PSOL e PCB