Manifestações dão o tom de debate sobre a guerra

Com mais de 1.000 participantes, ocorreu no dia 24 o seminário “A guerra imperialista e a crise econômica mundial”. O debate contou com os seguintes expositores: Angel Luís Cabezas (PRT-IR – Espanha), Hector Reyes (International Socialist Organization – EUA), Álvaro Bianchi (Revista Outubro) e João Ricardo Soares (PSTU). Coordenou a mesa Zé Maria, pelo PSTU. Todos analisaram a relação entre a crise do capitalismo e a nova agressão militar do imperialismo sobre o Iraque.

Reyes relatou como os trabalhadores norte-americanos estão lutando “contra o imperialismo no olho da besta”. Mobilizações em Washington, Nova York, Chicago e outras cidades atingiram mais de um milhão de pessoas, demonstrando o descontentamento com a política belicista norte-americana.

Segundo Cabezas, a luta contra o capitalismo se traduz atualmente no combate à guerra. Ele destacou ainda que a ONU atua como quinta coluna do imperialismo ianque, fazendo eco à acusação de que este país, arrasado pela Guerra do Golfo, possuiria condições de fabricar armas de destruição em massa, quando são os próprios EUA que mantém, na prática, o monopólio mundial deste tipo de armamento.

As intervenções do público destacaram a importância da mobilização que ocorrerá em 15 de fevereiro, Dia Mundial de Luta contra a Guerra.
Post author
Publication Date