Mais uma vitória dos trabalhadores: Sindicato dos Bancários do Rio Grande do Norte desfilia-se da CUT

Juary Chagas, diretor do sindicato, encobre o logo da CUT que já não representa a categoria
Reprodução

Plebiscito da categoria não deixa dúvidas: os bancários do RN dão um basta às traições e ao governismo, dizendo “Fora CUT!”O Sindicato dos Bancários do RN está, de uma vez por todas, livre da Central Única dos Trabalhadores. Cansados de serem traídos, os trabalhadores decidiram, em assembléia, pela realização de um plebiscito nos dias 19 a 22 de novembro para deliberar sobre a desfiliação do Sindicato dos Bancários do RN da falida CUT. Foi uma resposta imediata dos bancários à política suja dessa central, que, mais uma vez, se curvou aos interesses do governo Lula e dos patrões na última Campanha Salarial.

Foram quatro dias de muita ansiedade pela espera do resultado das urnas, que ao seu final confirmou o que todos já sabiam: os bancários rechaçaram por completo qualquer ligação do seu sindicato com uma central pelega e governista do naipe da CUT. Enquanto apenas 25% da categoria (413 votos) se manifestaram contrários, 75% dos bancários do RN (1.211 votos) disseram sim à desfiliação do Sindicato da CUT. Esta vitória emblemática apenas confirmou a capacidade de luta dos bancários do Rio Grande do Norte, que se tornaram referência de coragem e combatividade em todo o país ao enfrentarem quase sozinhos toda a superestrutura cutista.

Após o anúncio do resultado, uma explosão de alegria tomou conta dos presentes na apuração. Os bancários comemoraram junto com a direção do Sindicato – que apóia a Conlutas – o último “basta” dos bancários potiguares à CUT. “Eles (dirigentes cutistas) fizeram de tudo para tentar reverter a expressão da nossa vontade. O Sindicato fez um plebiscito ano passado e a turma da CUT se utilizou de terrorismo, mentindo para a categoria ao dizer que fora da CUT ficaríamos sem Acordo Coletivo. Só que este ano nós deliberamos em assembléia que a CUT não nos representava em nada e o Sindicato assinou todos os acordos fora da CUT. A categoria abriu os olhos e não caiu nesse estelionato. São uns mentirosos, mas o dia deles chegou”, exclamou Beatriz Oliveira, bancária e militante do PSTU.

O sindicato fará agora um chamado a todos os sindicatos de bancários do país a realizarem a discussão sobre o papel da CUT em suas bases, tendo em vista a reorganização que vive o movimento sindical e a necessidade urgente de uma nova alternativa de direção. Além disso, abre-se o debate sobre a participação dos bancários do RN neste momento. “Um sindicato de luta como nosso não pode ficar de fora desse processo de reorganização. Precisamos continuar denunciando a política criminosa desses pelegos e fortalecer cada vez mais a Conlutas, uma central verdadeiramente conseqüente com a luta dos trabalhadores”, concluiu Beatriz.

Com a esmagadora vitória de hoje, o Sindicato do RN é a terceira entidade sindical de bancários a sair da CUT somente este mês, somando-se aos sindicatos da Bahia e Bauru – que também deliberou pela filiação à Conlutas na última terça-feira. Além disso, existem ainda pelo menos mais dois sindicatos e uma federação com indicativo de também desligar-se da CUT nos próximos dias. É uma resposta clara dos trabalhadores, que começam a reagir frente à política colaboracionista da CUT, deixando muito claro que querem independência de governos e patrões para lutar.

Os bancários potiguares foram mais uma vez exemplo de coerência e bravura ao não se curvarem às mentiras e ao terrorismo. Colocaram de vez uma tarja no selo da CUT que teimava em manchar o nome do seu sindicato. Uma tarja preta, que personifica a falência e morte de uma central que se degenerou por completo. Parabéns, bravos companheiros, por mais uma vitória dos que lutam!