Lula tira dos aposentados para dar aos banqueiros

O trabalhadores que apoiam o governo devem refletir sobre a atitude de Lula em relação aos banqueiros e aos aposentados.

O governo deu cerca de 300 bilhões de reais de dinheiro público para os banqueiros e grandes empresas em incentivos fiscais, empréstimos, etc. para escapar da crise econômica. Agora, mostra de onde quer tirar o dinheiro para pagar essa conta. Vai atacar os gastos sociais do governo, começando pelas aposentadorias.

Os aposentados trabalharam toda sua vida com a esperança de ter uma velhice tranquila. Ao contrário, têm tido decepções brutais com os governos. Em 1991, Fernando Collor desvinculou o reajuste das aposentadorias do salário mínimo. De lá para cá, as aposentadorias se reduziram à metade. Em maio de 1998, Fernando Henrique chamou os aposentados de vagabundos e impôs a reforma da Previdência, que trouxe o “fator previdenciário”, redutor dos benefícios em até 40%.

Os aposentados votaram massivamente em Lula, na esperança de que isso se revertesse. Nestes quase sete anos de mandato, o presidente manteve todas as decisões contra os aposentados dos governos anteriores. Durante seu mandato, as aposentadorias foram diminuindo cada vez mais. Agora, depois de uma longa luta, existia a esperança de revogação das medidas de Collor e FHC.

No entanto, o acordo entre governo, CUT e Força Sindical é um ataque aos aposentados tão grande como os de administrações de direita de Collor e FHC. Continua a desvinculação dos reajustes das aposentadorias com o salário mínimo. O acordo aponta um aumento acima da inflação em 2010 entre 1,5% e 2,5% e, em 2011, 0%. Além disso, o “novo fator 8595” para as aposentadorias não resolve as perdas com o fator previdenciário de FHC, em particular para os trabalhadores que começaram a trabalhar mais cedo.

O dinheiro que está sendo roubado dos aposentados é o mesmo entregue às grandes empresas e banqueiros. Isso mostra de que lado está o governo Lula. Ao contrário do que pensam os trabalhadores, o presidente não governa para eles. Está a favor das grandes empresas. É uma espécie de Robin Hood ao contrário, tira dos pobres para dar aos ricos.

A Confederação Brasileira dos Aposentados e Pensionistas (Cobap) e a Conlutas já marcaram mobilizações de protesto contra esse acordo, que vão se espalhar por todo o país. É preciso que os sindicatos se posicionem contra essa negociação e se unam à mobilização que se inicia.

Post author Editorial do Opinião Socialista Nº 388
Publication Date