Juventude ocupa Assembléia da Paraíba para barrar aumento nas passagens

Nesta terça-feira, 25 de fevereiro, estudantes secundaristas de escolas públicas do centro de João Pessoa, do CEFET-PB e da UFPB ocuparam a Assembléia Legislativa do Estado, para protestar contra o aumento no preço das passagens de
transportes coletivos, fixado em R$ 1,05.

Os estudantes haviam ocupado anteriormente a Câmara dos Vereadores, em sua sessão solene de abertura, cinco dias antes, exigindo uma audiência com o prefeito Cícero Lucena e um posicionamento dos membros da Casa acerca de tal aumento, que consideramos ilegal – mais um golpe na classe trabalhadora de nossa cidade. Durante o ato de protesto, os estudantes foram recebidos por policiais militares, pela cavalaria da PM e por seguranças do local, que tentaram inclusive incriminar os estudantes quebrando a porta de vidro da Câmara. O próprio presidente da Casa, Fernando Milanez, defendeu o reajuste durante reunião do Conselho Tarifário, composto por representantes dos empresários, da Prefeitura, do Poder Legislativo, entidades estudantis e sindicatos.

O movimento estudantil de João Pessoa já conseguiu vitórias importantes sobre o tema em anos anteriores. Neste ano, o aumento veio fora de prazo, em época de vestibular e carnaval, mas mesmo assim foram realizadas manifestações de peso, entre passeatas e ocupações, que além de pautar o reajuste-zero das tarifas, reivindicam o passe-livre estudantil – pois acreditamos que estudante tem que ter seu direito de ir e vir garantido a fim de assegurar sua educação e desenvolvimento.

Camelôs, Pastorais e movimentos populares vêm se somando esta luta a cada dia, por concordarem que este reajuste – calculado em cima do aumento do preço de apenas um produto, o diesel – é arbitrário e irresponsável, e não corresponde com a realidade social da Paraíba, numa conjuntura em que tudo – cesta-básica, telefone, gás, pão – aumenta e só o salário do trabalhador permanece o mesmo.

Já era de se esperar que Cícero Lucena, do PSDB, em total acordo com os interesses dos empresários de transportes coletivos, fosse condizente com este aumento. Revoltante é sabermos que a prefeita de Campina Grande, a segunda maior cidade do Estado, também homologou o reajuste, subindo a passagem para R$ 1,00. A prefeita do PT, Cozete Barbosa, mostra que não está em sintonia com os interesses do povo campinense, e sim com os interesses dos donos de empresas.

A Juventude do PSTU vem participando ativamente deste movimento, e se colocando junto dos estudantes na linha de frente das manifestações de rua e da mobilização contra mais estes ataques à classe trabalhadora paraibana.