Grito dos Excluídos reúne 150 mil em Aparecida

A 8ª edição do Grito dos Excluídos, em 7 de setembro, teve atos expressivos nas principais cidades do país, reunindo milhares de pessoas para protestar contra a entrada do Brasil na Área de Livre Comércio das Américas (Alca). Em Aparecida (SP), onde tradicionalmente ocorre o principal ato, 150 mil participaram do protesto. Sob o lema “Soberania não se negocia”, os manifestantes fizeram a votação simbólica do Plebiscito sobre a Alca.
Como afirma Zé Maria, candidato à Presidência da República pelo PSTU, “tanto o Plebiscito como os atos do Grito dos Excluídos tiveram grande participação, expressando a tomada de consciência de uma parcela importante da população sobre a luta contra a Alca e a entrega da Base de Alcântara aos EUA”. Zé Maria participou da manifestação em Aparecida e votou no Plebiscito em São Paulo, no dia 6 de setembro, em urna montada pelo Sintrajud em frente ao prédio da Caixa Econômica Federal da avenida Paulista.
Nas outras regiões do país, o Grito dos Excluídos também teve atos importantes. Em todos, não foi aberta a palavra para representantes de partidos políticos, mas o PSTU teve colunas, faixas e participação expressiva.
Na capital paulista, cerca de mil pessoas se reuniram em frente ao Museu do Ipiranga, local onde foi declarada a independência do Brasil, para exigir a independência de fato do país. Minas Gerais teve manifestações em diversas cidades, com destaque para a passeata seguida de ato público no centro de Belo Horizonte, que contou com mais de três mil pessoas.
Em Porto Alegre, como já acontece há vários anos, o desfile militar para o Dia da Independência foi encerrado com a entrada de cerca de mil manifestantes levando faixas contra a Alca e o FMI. Recife (PE) teve quatro mil pessoas em passeata pelas ruas centrais da cidade. Em Belém (PA), o ato do Grito dos Excluídos reuniu cinco mil pessoas e correu sem incidentes. No dia anterior, uma manifestação contra a Alca na cidade de Ananindeua, região metropolitana de Belém, foi reprimida pela Polícia Militar.
Post author
Publication Date