Greve na Universidade Estadual do Piauí desmascara governo do PT

O governo do PT no Piauí sofreu um dos seus maiores desgastes até agora, por conta dos 58 dias de greve dos professores da Universidade Estadual do Piauí (UESPI).

Desde o início do movimento (25/08), até o final (22/10), o governo petista não hesitou em utilizar todo tipo de terrorismo contra os grevistas: ameaças de cortes de ponto, suspensão de contratos etc. Não conseguindo sufocar a paralisação, apelou para o pedido de ilegalidade da greve e retenção dos salários do mês de setembro, inclusive de quem não estava no movimento. Além disso, escalou a PM para ficar dentro do campus principal da universidade (Pirajá), para intimidar os professores e o Comando de Greve, que faziam atos diários em frente à reitoria biônica da instituição. E mais: exerceram um rígido controle sobre a imprensa local (principalmente TV’s e jornais escritos), no sentido de isolar a greve da opinião pública. No clímax da greve, a TV Club – afiliada da Globo, se negou a veicular nota paga assinada pelo Comando de Greve.

Mesmo com todo esse aparato de repressão, os professores resistiram e ganharam o apoio da maioria dos estudantes e da população, o que forçou o governo a atender parcialmente algumas das reivindicações dos docentes, sobretudo quanto à remuneração básica, que hoje não chega a um salário mínimo (R$ 239,66).

Ao final, os petistas locais (em reunião comandada pelo próprio governador Wellington Dias), assinaram documento se comprometendo com reajustes, a partir deste mês, de 10,43% (20h), e 20,86% (40h), além de, segundo acertaram, chegar ao piso de R$ 720,00 – reivindicação principal da greve – até maio 2004. Ficou acertado também a diminuição progressiva da cobraça de taxas aos estudantes, que hoje chegam a pagar até R$ 600,00 por semestre. E foram liberadas ainda as progressões dos professores efetivos, o que significa, em alguns casos, ganhos reais de até R$ 600.

No entanto, o ganho maior foi o desmascaramento do governo e da política reacionária que vem aplicando, que só favorece banqueiros e grandes empresários. Para que se que se tenha uma pequena idéia, de janeiro pra cá, destinaram mais de R$ 250 milhões para pagar juros da dívida pública (só agora em outubro já avisaram que vão torrar R$ 30 milhões), enquanto que por exemplo para atender as reivindicações dos professores da UESPI, resistiram até onde puderam para destinar pouco mais de R$ 400 mil!!!

Tudo isso foi amplamente denunciado nos 58 dias de greve, o que trouxe um enorme desgaste para o governo do PT.