Trabalhadores da Mercedes aprovam paralisação contra demissões

Quinta-feira, dia 8 de setembro, mais de 6 mil trabalhadores da Mercedes-Benz de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, reunidos em assembleia aprovaram por unanimidade uma greve até segunda-feira! Essa é uma importantíssima mobilização da categoria em resposta às mais de 3600 demissões anunciadas pela empresa, que busca tercerizar vários setores para diminuir os salários e aumentar os lucros.

Essas demissões absurdas são reflexos da Lei das Tercerizações, da Reforma Trabalhista e da Reforma da Previdência, ataques que aumentam a exploração e precarização dos trabalhadores, todos mantidos e aprofundados por Bolsonaro, e por um Estado em guerra contra os pobres e oprimidos. Mais de 3600 famílias lançadas ao desemprego e instabilidade no meio da pior crise dos últimos tempos demonstra a quem o governo está realmente a serviço: da burguesia. A classe trabalhadora é sacrificada para que alguns empresários continuem lucrando. Basta!

Companheiros da juventude: essa luta também é nossa! Somos a maioria no desemprego, qualquer demissão é um ataque direto contra nós! Também somos a maioria na informalidade , todo direito arrancado é também um golpe contra nossas expectativas de uma vida digna! E, além disso, o desmonte das indústrias diminui a demanda por mão-de-obra qualificada, quebrando nossas escolas e faculdes também!

É necessária a revogação imediata da Lei das Terceirizações e das Reformas! Nem Bolsonaro e nem mesmo a candidatura de Lula e Alckmin se comprometaram com isso! Apenas os trabalhadores no controle do governo e das fábricas serão capazes de realizar as medidas que realmente precisamos! E apenas uma revolução pode colocar os trabalhadores no poder!

– Nenhuma demissão!
– Pela aliança operária-estudantil
– Estatização das empresas que demitirem, sob controle dos próprios trabalhadores