George Floyd, presente! No luto e na luta contra o racismo nos EUA e no mundo!

Nesta segunda-feira (25/05), George Floyd, 46 anos foi estrangulado até a morte por um policial sob a suspeita de ter usado um cartão falso numa loja de conveniência, em Minnesota, Estados Unidos.

O assassinato foi gravado e mostra George algemado, com o rosto no chão, com um policial ajoelhado sobre seu pescoço. Sufocado pelo policial, George lutou por sua vida dizendo que não conseguia respirar, mas o policial que o estrangulava, bem como os demais que faziam a operação, ignoraram o apelo de George.

As pessoas que gravaram o vídeo tentaram fazer o policial parar, enquanto outro agente mantinha os observadores afastados. A tortura policial seguiu até a morte de George.
Este episódio é tragicamente semelhante ao do assassinato de Eric Garner, um homem negro agredido e imobilizado por vários policiais de Nova Iorque sob a torpe suspeita de venda ilegal de cigarros àavarejo, há seis anos atrás. O policial que estrangulou Eric até a morte, foi rapidamente absolvido na justiça burguesa estadunidense. As últimas palavras de Eric Garner foram as mesmas de George Floyd: “I can’t breathe” (“Eu não consigo respirar”).

George foi mais um negro assassinado nos Estados Unidos, em plena luz do dia e em frente às câmeras de celulares. Os policiais, sem nenhum constrangimento, ainda intimidaram as pessoas que se indignavam com a ação violenta e assassina. A polícia do imperialismo estadunidense não poupa o uso da violência contra negros, hispânicos, asiáticos da classe trabalhadora, nem em meio à pandemia de COVID-19.

Um novo levante nos Estados Unidos

Como se não bastasse a pandemia de COVID-19 que tem ceifado vidas de negros e pobres dos Estados Unidos, numa proporção extremamente alta[1] a polícia tem aumentado a repressão racista aos hispânicos e negros.

Mas o cruel assassinato de Floyd pela polícia de Minessota foi respondido com um explosivo levante popular! Centenas de pessoas rapidamente tomaram as ruas em protesto contra esse assassinato racista. Os protestos se massificaram com os manifestantes expulsando viaturas policiais que tentaram reprimir os protestos.

O levante de negros, brancos, hispânicos e trabalhadores contra a violência policial  indica o caminho para a luta, não só, contra o racismo, mas contra a política genocida dos prefeitos, governadores e do presidente Donald Trump em meio à pandemia da COVID-19.

Por isso, nós do PSTU reafirmamos a nossa indignação e repúdio a esse assassinato, e prestamos solidariedade aos seus familiares e apoio incondicional às lutas e levantes nas ruas de Minnesota e demais cidades americanas.

Enquanto não pararem de nos matar, explorar e oprimir não deixaremos de lutar contra o racismo e toda sua forma de violência contra nossa classe, em cada canto do mundo.

O capitalismo e o racismo matam! Morte ao capitalismo e ao racismo!
Justiça e punição exemplar aos assassinos de George Floyd!

[1]Ver: https://www.pstu.org.br/as-mortes-dos-negros-nos-eua-pela-covid-19/.