Fortaleza: Centenas de operários paralisam obras e ameaçam greve

Dirigente do sindicato concede entrevista durante manifestação

Na manhã desta quinta-feira, dia 7 de abril, a partir das 7 horas, pelas principais ruas do bairro do Meireles em Fortaleza, foi realizada uma grande passeata com os operários das construtoras Integral Engenharia, Cameron, CROLIM Bossa Nova, Moura Dubeux, Marquise, Colméia, Caltech, dentre outras construtoras e empresas terceirizadas que atuam no ramo da Construção Civil.

“Foi um mar de cores e capacetes invadindo as ruas do Meireles”, declarou Nestor Bezerra, Coordenador Geral do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil da Região Metropolitana de Fortaleza (STICCRMF) sobre mais uma manifestação pela campanha salarial 2011.

A passeata dos trabalhadores e a paralisação que durou 2 horas foram deliberadas pelos trabalhadores durante assembleia realizada no dia 17 de março na Praça da Imprensa, na Aldeota.

Ao final da manifestação, na Av. Beira Mar, os operários realizaram mais uma assembleia, onde foram reafirmadas as bandeiras de luta da categoria, como reajuste de 20%, cesta-básica, plano de saúde, dia do trabalhador da construção civil, fim do desvio de função e auxilio creche. Na ocasião, a categoria aprovou a manutenção das paralisações de 2 horas e a realização de nova assembleia na sede do sindicato, no dia 13 de abril, quarta-feira.

Neste dia 8, às 9 horas, na Superintendência Regional do Trabalho (SRTE), acontece mais uma rodada de negociação entre o STICCRMF e o Sinduscon-CE (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará). Bezerra informou que caso o patronato não apresente propostas melhores na mesa, a categoria poderá entrar em greve.