Feminista egípcia envia mensagem de solidariedade às mulheres da CSP-CONLUTAS

“Após décadas, as mulheres árabes voltaram a ocupar as ruas no 8 de março. O dia foi lembrado com manifestações na Tunísia, Líbia, Líbano e no Egito, onde cerca de 1 milhão saíram às ruas para exigir os direitos das mulheres. As revoluções no mundo árabe fizeram com a luta em defesa dos direitos das mulheres ganhasse força, numa importante combinação entre luta contra a opressão e exploração.

Desde o Egito, a feminista Nawal El Saadawi, através de sua filha Mona Helmy, encaminhou mensagem às trabalhadoras da CSP-CONLUTAS, reafirmando a necessidade da luta internacional. Confira abaixo:

“Apoio sua luta com todo o coração. A luta global é inseparável da luta local. A luta é “Glocal”, ou seja, é global e local ao mesmo tempo. Mulheres e homens no Egito e Brasil precisam se unir e lutar juntos contra todos os tipos de discriminação relacionados à classe, raça, sexo e outros.

É necessário libertar a nós e a nossos países de todos os poderes internos e externos baseados no capitalismo, no imperialismo, no militarismo, no neocolonialismo, no racismo e na dominação patriarcal do Estado e da família. O fundamentalismo religioso é universal. O neocolonialismo e o fundamentalismo religioso são duas faces da mesma moeda. George Bush e Bin Laden são gêmeos. Deus é usado para justificar as injustiças relacionadas com o gênero, classe ou raça.”

Cairo – Egito, 14 de março de 2011.

*Nawal El Saadawi é médica, escritora e uma das mais importantes críticas do machismo, do capitalismo e do imperialismo no mundo árabe. Por sua militância política, foi perseguida, presa e ameaçada de morte pelos fundamentalistas. Atualmente vive no Cairo, Egito. É autora de vários livros sobre a questão da mulher, dentre eles, ” A face oculta de Eva”, publicado no Brasil, pela editora Global.

LEIA TAMBÉM
No 8 de março, mulheres árabes nas trincheiras