Estudantes expulsam deputados norte-americanos da Uerj

Parecia uma cena de um filme do Michael Moore: estudantes e trabalhadores da Uerj colocaram dois típicos representantes do imperialismo ianque pra correr. Isso mesmo, dois representantes do Estado norte-americano foram expulsos da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. O melhor é que não foi um filme. O fato ocorreu na última quarta-feira, 23 de junho.

O departamento de Pós-Graduação em História, em parceria com o consulado dos Estados Unidos organizou no Auditório 11 da UERJ, um debate sobre “As Eleições Presidenciais de 2004 nos Estados Unidos e a Política Internacional” onde os debatedores convidados eram nada mais nada menos que Erik Paulsen, Deputado em Minnesota pelo Partido Republicano, e Susana Mendonza, Deputada em Ilinois pelo Partido Democrata.

A UERJ se encontra em greve de servidores, e por coincidência poucas horas antes deste evento, estava acontecendo no auditório ao lado uma assembléia de servidores onde foi feita a denuncia da presença destes representantes do imperialismo dentro de nossa universidade. Imediatamente foi proposto que os trabalhadores e estudantes ali presentes realizassem um ato político contra o evento.

Os manifestantes foram entrando no auditório onde se realizaria o debate como se fossem meros espectadores da política nefasta implementada pelos estadunidenses na América Latina. Eram cerca de 100 pessoas e armados de ovos, farinha e cartas com “ANTRAX” (farinha de trigo).

Ao dar início ao debate surgiu entre os manifestantes inúmeras bandeiras americanas com desenhos de caveiras. Os estudantes e trabalhadores puxaram palavras de ordem, a segurança da universidade foi chamada, mas estes se recusaram a reprimir a manifestação. Em seguida iniciamos um bombardeio de ovos e de farinha em direção aos Deputados ianques, que só conseguiam se esconder atrás das mesas.

Nos retiramos do auditório e nos concentramos do lado de fora enquanto os imperialistas foram mantidos trancados como “reféns”. Para alegria dos manifestantes passamos a fazer exigências para a “libertação” dos “reféns”:

Pela retirada das tropas americanas do Iraque!

Pelo cancelamento da Dívida externa!

Pela retirada das tropas do Haiti!

Enquanto isso, do lado de dentro, os gringos nos acusavam de “terrorismo”, uma grande ironia para quem esta fazendo barbaridades no Iraque.

Ao final, eles saíram escoltados pelos seguranças do consulado, saindo fugidos dos manifestantes, que ainda conseguiram quebrar os vidros do carro blindado do Consulado.

*Andréa Acioli é estudante da Uerj e militante do PSTU