Estudantes e trabalhadores conseguem adiar aumento do transporte em Teresina

Manifestantes ocuparam a Superintendência de Transportes e já organizam mobilizações contra reajuste dos ônibus

Em todo o país, o fim de ano vem cheio de “presentes” das prefeituras e governos estaduais para a população. Principalmente quando falamos de reajustes nas tarifas do transporte coletivo.

Em Teresina, capital do Piauí, a aprovação do aumento na passagem de ônibus pelo Conselho Municipal de Transportes, dos atuais R$3,30 para R$3,71, só não aconteceu devido à pressão dos movimentos de juventude e dos trabalhadores.

Na última quinta-feira do ano (28/12), diversas entidades e coletivos organizaram uma manifestação em frente a Superintendência de Transportes (STRANS), e, quando perceberam que a votação iria ocorrer a portas fechadas entre a prefeitura e os empresários do transporte, decidiram ocupar o prédio, forçando a suspenção da reunião do Conselho para a semana seguinte.

O próprio Conselho de Transportes acaba se tornando uma ferramenta ilegal, já que alguns de seus membros nem sequer frequentam mais as instituições a qual representam, fato denunciado por diversas vezes.

Além dos 12,4% de aumento na passagem, muito acima da inflação no período, o reajuste também vai afetar o preço da passagem estudantil, congelada desde 2013. A proposta da STRANS é elevar de R$1,05 para R$1,18.

Esse congelamento, fruto das jornadas de junho daquele ano, foi uma tentativa da prefeitura de evitar a mobilização da juventude que, também nas mobilizações de 2011, conseguiu derrubar o aumento proposto.

Aumentos pelo país
Outras cidades e capitais também já preparam seus reajustes. Em São Paulo, por exemplo, João Dória e Alckmin (ambos do mesmo partido que o prefeito de Teresina, o PSDB), já aprovaram um aumento conjunto dos transportes para R$4,00. Em outras cidades do estado o aumento pode chegar em até R$4,70!

Em outros estados a população trava verdadeiras batalhas contra a “máfia dos transportes”. Exemplo maior disso é o Rio de Janeiro, onde durante todo o ano o consórcio de empresas tentou acabar com a gratuidade dos estudantes da rede federal e aumentar a tarifa. Esse mesmo consórcio é liderado por Jacob Barata, já preso em diversos escândalos de corrupção, e sempre liberto pelo seu amigo do peito no STF, Gilmar Mendes.

Trabalhadores e juventude na linha de frente!
Esses exemplos mostram os desafios que a nossa classe deve enfrentar, não só para barrar os reajustes no transporte coletivo, mas para travar a luta contra os governos e patrões. Devemos unificar as lutas, organizar as linhas de frente em todo o país, sem confiar um instante nas promessas da justiça burguesa.

Na capital piauiense haverá reunião entre as entidades e coletivos na próxima quarta-feira (03/01), no Sindicato dos Rodoviários, a partir das 18hs, para articular os próximos passos do movimento. Convocamos a todas as organizações da classe trabalhadora para se fazerem presentes.

Contra o aumento nas tarifas dos transportes!

Passe-Livre, Já! Para estudantes e desempregados

Estatização imediata dos transportes! Por um sistema controlado pelos trabalhadores e usuários!