Escute aqui `Companheiro Bush`, de Tom Zé

Tom Zé gravou uma música contra a guerra de Bush, e apresentou em seu show após o ato no Parque do Ibirapuera, em São Paulo, no dia 15 de março.

Leia logo abaixo a letra de “Companheiro Bush“ e o depoimento de Tom Zé durante o ato no Ibirapuera.

Para escutar a canção, clique aqui (windows media player) ou visite o site da gravadora Trama.

COMPANHEIRO BUSH

Tom Zé


Se você já sabe
Quem vendeu
Aquela bomba pro Iraque,
Desembuche:
Eu desconfio que foi o Bush.

Foi o Bush,
Foi o Bush,
Foi o Bush.

Onde haverá um recurso
Para dar um bom repuxo
No companheiro Bush?
Quem arranja um alicate
Que acerte aquela fase
Ou corrija aquele fuso?

Talvez um parafuso
Que tá faltando nele
Melhore aquele abuso.
Um chip que desligue
Aquele terremoto,
Aquela coqueluche

DEPOIMENTO DE TOM ZÉ NO ATO CONTRA A GUERRA

“Uma guerra em que a gente já vive diariamente, silenciosa e muda, é a guerra em que o invasor é uma criatura, é um ser sem fisionomia, sem compleição física, mas que tira soldo de guerra de tudo o que a gente compra, de tudo o que a gente usa, de tudo o que a gente bebe, de tudo o que a gente veste.

E a nós, escravos úbicos, quer dizer, escravos que estamos em qualquer parte do mundo, essa qualidade divina que Deus passou pro homem, eles dividem como despojos de guerra.

Agora tem essa outra guerra convencional, chamada de declarada, que realmente causa muita emoção no público. Mas o povo diariamente já vive sob o tacão de uma guerra terrível. O Brasil é um país mais ocupado do que a França era em 42, durante a Segunda Guerra. Ninguém toma um café, uma água, sem mandar um dinheiro pro estrangeiro.“