Enquanto isso, lucros recordes na Petrobras

Em 2008, a Petrobras Controladora obteve o maior lucro líquido da sua história, R$ 36.470 milhões, 65,6% a mais do que em 2007, que foi de R$ 22.029 milhões. Um dos fatores de alavancagem desse lucro foi o aumento da produção de óleo e gás no Brasil em 5%. No quarto trimestre de 2008, fase aguda da crise internacional, o lucro foi de R$ 10.852 milhões, 46% maior ao do mesmo período de 2007.

Os valores reservados para distribuição aos acionistas como dividendos, R$ 9.915 milhões, são 50,7% maior do que 2007. Já os valores provisionados para distribuição aos trabalhadores como PLR, R$ 1.138.078 mil, representam 34,8% a mais que 2007, ou seja, proporcionalmente menor que os valores provisionados aos acionistas. A relação PLR/Dividendos, em 2008, é de 11,48%, percentual menor que 2007, de 12,83%. Isso mostra que o valor provisionado para PLR não está acompanhando o crescimento do lucro da empresa.

Os quase R$ 10 bilhões provisionados aos acionistas serão atualizados monetariamente, a partir de 31 de dezembro de 2008 até a data de início do pagamento a ser definido pela Assembléia Geral Ordinária, de acordo com a variação da taxa Selic. Para os valores destinados aos trabalhadores, não há nenhum reajuste.

Para acompanhar o crescimento dos dividendos provisionados aos acionistas a PLR terá que ser de R$ 1.272.094 mil, ou seja, R$ 134 milhões a mais que o provisionado. No entanto, para a PLR acompanhar o crescimento do lucro líquido, de 65,6 %, o valor distribuído terá que ser de R$ 1.398.346 mil, que representa R$ 260 milhões a mais.

A PLR máxima, 25% dos dividendos distribuídos aos acionistas, que temos direito por Lei, representa R$ 2.478.750 mil, ou seja, mais do que o dobro do que foi provisionado.