Encontro em Minas impulsiona construção da Conlutas

Encontro mineiro reúne representantes de trabalhadores, estudantes e movimentos sociais e popularesNos dias 3 e 4 de dezembro a Conlutas realizou o segundo Encontro Estadual de Minas Gerais. O evento foi precedido de plenárias em sete regiões do estado e inovou na metodologia até então adotada, elegendo os participantes em instâncias de suas entidades e, em muitos casos, em assembléias gerais ou em plenárias de delegados sindicais e representantes.

Encontro representativo
Foram credenciados 245 delegados, representando 32 sindicatos que abrangem uma base de 240 mil trabalhadores. Além dos sindicatos, também participaram 3 seções de oposição sindical em subsedes do Sind-UTE (sindicato dos professores estaduais), outras 5 oposições sindicais, o DCE da Universidade Federal de Minas Gerais, além de representantes de entidades estudantis das universidades federais de Juiz de Fora e Uberlândia. O Movimento Terra, Trabalho e Liberdade (MTL), que atua em ocupações e assentamentos no Triângulo Mineiro e organiza cerca de 20 mil pessoas, também esteve presente.

Ao todo, estiveram presentes 43 entidades, além de representações de movimentos culturais, de luta contra a opressão e do movimento contra a transposição do rio São Francisco. Por razões financeiras, não puderam participar representantes das regiões do Vale do Aço e Rio Doce.

Um dos coordenadores estaduais do MST, Mauro Leme, também marcou presença. No estado, a Coordenação Regional do MST foi autorizada a iniciar um processo de discussões com a Conlutas e já em setembro passado o MST de Minas ajudou a convocar e participou da manifestação organizada pela Conlutas contra a corrupção e a política econômica do governo, em Belo Horizonte.

Avançando na construção
A dinâmica do encontro, além dos debates de conjuntura e definição das campanhas políticas da Conlutas, garantiu um bom tempo para as reuniões dos delegados em grupos de trabalho. Os participantes leram e discutiram os textos sobre concepção da nova entidade a ser fundada no Congresso Nacional dos Trabalhadores (Conat) e as propostas para o estatuto dessa entidade.

Posteriormente, os relatórios desses grupos foram discutidos em plenária e serão remetidos para a Conlutas Nacional. A grande maioria dos delegados entende que a Conlutas deve avançar na sua organização, mas mantendo-se como uma coordenação que aglutine entidades de vários segmentos e não apenas do movimento sindical.

Portanto, é uma entidade que procura ir além dos limites da ação de uma central sindical, aglutinando todos os setores explorados e oprimidos da nossa sociedade. O formato de sua direção deve corresponder a esse estágio de organização, incorporando representantes de todas as entidades que se filiarem.

Foi eleita uma secretaria provisória da coordenação estadual, cuja maior tarefa será organizar uma forte participação no Conat. Até abril, a Coordenação vai procurar garantir no Congresso a presença de representantes das 70 entidades e oposições que estão em discussão com a Conlutas no estado, e mesmo ampliar essa perspectiva. Ficou também deliberado que as entidades participantes da Conlutas passarão a contribuir com 3% de sua arrecadação, garantindo um salto na organização da Conlutas em todas as regiões de Minas.
Post author Cacau, Roberta Lessa e Oraldo Paiva, de Belo Horizonte (MG)
Publication Date