Em noite histórica, Fasubra se desfilia da CUT

Desde o início da tarde, o ambiente do congresso da Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras (Fasubra) começou a fervilhar. Só se respirava o debate sobre a desfiliação ou não da CUT. Em acordo com todas as correntes, foi aprovado um encaminhamento de quatro defesas para cada posição.

O companheiro Doni, militante da Conlutas de São Carlos (SP), disse: “tenho orgulho de ter sido construtor da CUT, de organizar uma central combativa e que era considerada pela burguesia como radical. Porém essa central não mais existe! De radical, a CUT virou um apêndice do governo, um gato manso no colo de seu dono, o Lula”. Por isso, enfatizou Doni, “os delegados e delegadas desse congresso são chamados à uma importante tarefa: livrar a Fasubra dessa central chapa branca e governista”.

Um clima de euforia tomou conta do plenário e se gritava palavras-de-ordem contra a CUT por dos os cantos. Uma delas dizia: “Você pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão”.

Em seguida, abriu-se o processo de votação com a constituição de três mesas coletoras. A apuração dos 970 votos encerrou por volta de 21h40, com o seguinte resultado: 510 votos pela desfiliação, 454 pela manutenção da filiação, 2 nulos e 4 brancos. Desta forma, a Fasubra vira uma página de sua história e inicia uma nova trajetória, mas sem o peso do atrelamento ao governismo cutista.

A repercussão desse resultado deverá ultrapassar as fronteiras do movimento do funcionalismo federal, se refletindo em todo o movimento sindical brasileiro. Evidentemente, também é um grande passo no processo de reorganização e fortalece a iniciativa da Conlutas no caminho da construção de uma entidade unitária para a classe trabalhadora em nosso país. A partir de agora, se abre um período de debates, seminários, encontros e assembleias para discutir uma alternativa de organização para a Fasubra.

Apesar da euforia causada pela desfiliação, os delegados tiveram pouco tempo para comemorar. Neste momento, várias plenárias e reuniões estão acontecendo para articular a composição das chapas que concorrerão à direção da entidade. O grupo sindical VAL-Base, do qual os militantes da Conlutas fazem parte, já iniciou sua plenária que deve varar a madrugada.