Em memória de Bill Hunter


Comite Executivo da LIT (Liga internacional dos Trabalhadores)

Lamentamos informar a todos a morte de Bill Hunter, aos 95 anos de idade, por um acidente vascular cerebral na Inglaterra.

Trata-se da perda irreparável de um dirigente que dedicou quase oitenta anos de sua vida ao movimento operário inglês e a construção do trotsquismo a nível internacional.

Ficara na lembrança de todos como um quadro histórico entre os portuários de Liverpool. Como ativista operário esteve presente nas grandes greves do setor, tornando-se querido mesmo entre os adversários.

Depois de aposentado, seguiu apoiando diretamente as lutas, sendo recebido com o respeito que o proletariado sabe prestar a um de seus grandes dirigentes. Durante a greve dos portuários de Liverpool de 1995, foi ovacionado por três vezes em uma assembléia nacional de apoio.

Estará na memória dos que militaram no trotsquismo das últimas décadas. Fez parte do trotsquismo inglês desde o ano da fundação da IV Internacional em 1938. Foi um dos principais dirigentes operários do Workers Revolutionary Party por décadas.

Nos anos 1980, enfrentou a degeneração desse partido dirigido por Healy, e em 1988 ingressou na Liga Internacional dos Trabalhadores, sendo parte de sua reconstrução. Bill foi por muitos anos membro de nossa direção internacional, assim como da Comissão de Moral, aportando nessas tarefas com a experiência de um dirigente operário de larga trajetória.

Escreveu inúmeros textos, inclusive os livros “They knew why they fought” (Eles sabiam porque lutavam) e “Lifelong Apprenticeship” ( Aprendizagem permanente).

Mesmo com a saúde debilitada nos últimos anos, nunca abandonou a coerência de quem dedicou sua vida à causa da revolução mundial. Sempre que podia, escrevia , opinava, participava da vida política da ISL (International Socialist League), a seção inglesa da LIT.

Todos os que o conheceram recordarão o trato gentil, assim como o humor com que contava os inúmeros episódios de que participou da história do movimento operário e trotskista.

Bill morre e se incorpora às nossas tradições. Trata-se de um exemplo para todos os novos revolucionários que agora estão agora se integrando à vida política. Como dizia Trotsky: “Sim, nosso partido nos toma por inteiro. Mas em compensação no dá a maior das felicidades, a consciência de participar na construção de um futuro melhor, de levar sobre nossos ombros uma partícula do destino da humanidade e de não viver em vão”.

Recebemos a noticia de Bill em meio a uma reunião da direção da Liga Internacional dos Trabalhadores. Da mesma direção da qual ele participou por muitos anos. De pé, com algumas lágrimas furtivas nos olhos, saudamos o velho revolucionário:

“Bill Hunter, até o socialismo sempre”.