Eleições em Niterói começam com ataques à democracia

As eleições para a nova diretoria do Sindicato de Metalúrgicos de Niterói e Itaboraí (RJ) acontecem nesta segunda-feira, 28 de janeiro. Como já havia sido denunciado pela chapa 2 – Oposição Conlutas, a eleição corre o risco de fraude. Os ataques vem ocorrendo desde o final do ano passado, com uma assembléia eleitoral fantasma e a tentativa de impugnar a chapa de oposição.

Nesta segunda-feira, a situação piorou. A eleição teve início sem que a oposição pudesse indicar mesários e esta não tem direito à voto na comissão eleitoral. A própria comissão é indicada e controlada pela chapa da atual direção do sindicato. Muitos trabalhadores, como os do segundo turno do estaleiro Promar, não têm ainda a garantia de que conseguirão votar.

Diante do golpe e da parcialidade da comissão eleitoral, a chapa 2 – Oposição Conlutas está discutindo e irá decidir se reconhece o atual processo eleitoral. Para uma eleição limpa, a chapa entende como necessária a igualdade de condições, com mesários, fiscais e apuradores das duas chapas, o livre acesso aos locais de votação e às listas de votantes e roteiro das urnas.