Eduardo Jenner, presente! Até o socialismo!

93
É com muito pesar que soubemos neste domingo, 6 de junho, do falecimento do companheiro Eduardo Jenner, mais conhecido entre seus amigos de refinaria como guerreiro Edu Mano Velho, em decorrência de complicações por COVID-19.
Edu foi um daqueles ativistas abnegados na luta por uma Petrobras 100% estatal a serviço dos trabalhadores brasileiros. Defendia a reestatização das empresas privatizadas, que chamava de empresas do povo.
Mas muito além disso, lutava por uma sociedade que não fosse controlada pelo capital. Entendia que a sociedade capitalista, com suas instituições, seus regimes e governos, foram concebidos para nos escravizar, e lutava pela libertação dos trabalhadores.
Dizia a nós, mais jovens, que precisávamos ser pacientes e didáticos, e entender que a batalha por dentro das instituições só nos levaria a conciliações, o que era coisa conhecida dos governos populares.
Trabalhou na construção civil na década de 80 e, nessa época, foi militante da Convergência Socialista, corrente política que veio a construir o PSTU na década de 90. Posteriormente, atuou no próprio PSTU. Foi fundamental na retomada do sindicato para as mãos dos lutadores, ainda na década de 80. E foi demitido da Petrobras injustamente pela diretoria da empresa por duas vezes, em punição pela participação da greve de 91 e depois na histórica ocupação de 95.
Foi anistiado anos depois, e sem vacilar, foi o primeiro demitido político a devolver o dinheiro do fundo de greve construído pela categoria petroleira. Esteve presente até as últimas assembleias presenciais da categoria.
Jenner dizia que não precisávamos estar juntos para sabermos o valor das pessoas e das ideias, bastava que tivéssemos respeito pela trajetória de luta que cada um escolheu. E nesse caso, companheiro, temos muito respeito pela sua história de muita coragem e braveza.
Ensinava-nos dizendo que, em tempos de guerra, morrer lutando era o melhor caminho. Mas ainda assim é muito duro perder esse guerreiro. Mesmo distantes, nesse momento de isolamento social que tem nos afastado no dia a dia de tantos lutadores, te considerávamos um dos grandes, um dos indispensáveis, e esperamos ter o mesmo que você: muita luta, muita disposição, sem se conformar e com muita inspiração.
Continuaremos sua luta Edu, em defesa da categoria petroleira e em defesa de uma Petrobras 100% Estatal, comandada pelos trabalhadores, mas também por uma revolução contra esse sistema capitalista que reserva apenas miséria e morte para nossa classe.
Eduardo Jenner Presente. Hoje e sempre!