Direitos Humanos de SP encontra e encaminha imigrantes haitianos feridos ao Hospital


O coordenador de Políticas para Migrantes da Secretaria do Município, Paulo Illes, confirmou agora à noite que os quatro feridos estavam com as balas em seus corpos; suspeita de que um quinto haitiano morreu está sendo apurada

Com a notícia divulgada no site da CSP-Conlutas de atentado contra imigrantes haitianos em São Paulo no último sábado, as autoridades responsáveis pelos Direitos Humanos, da prefeitura de São Paulo, iniciaram uma busca pelos feridos e conseguiram encontrar os quatro em suas respectivas casas.  

O coordenador de Políticas para Migrantes, da Secretaria do Município, Paulo Illes, confirmou agora à noite que os quatro feridos estavam com as balas em seus corpos, fato relatado pela equipe do SAMU que foi buscá-los.  

Eles foram levados ao Hospital Tatuapé, onde os membros da USIH estão indo para pegar todas as informações necessárias para abertura de inquérito policial. Até o presente momento foram registrados apenas dois Boletins de Ocorrência no 8º Distrito.

Atentado contra imigrantes  
A USIH (União Social dos Imigrantes Haitianos), entidade responsável por organizar as lutas dos haitianos no Brasil, recebeu uma denúncia de que vários imigrantes haitianos foram vítimas de um crime na noite de sábado (1).  

Segundo informações dos próprios imigrantes à entidade, um veículo parou em frente ao local onde eles estavam concentrados, na região do Glicério, centro de São Paulo, e um homem gritou de dentro do carro que eles estariam “roubando os empregos dos brasileiros”. Então, com uma arma em punho, começou a disparar em direção ao grupo.  

Foi informado que quatro deles ficaram gravemente feridos, e há uma suspeita de que um quinto veio a falecer.  

O mais chocante é que eles não conseguiram atendimento médico nos hospitais e tiveram que voltar para casa com seus ferimentos em aberto.  

A USIH e a CSP-Conlutas vão buscar se reunir com as autoridades na próxima semana para tomar todas as medidas necessárias sobre esse caso e outros que estão ocorrendo. O senador Paulo Paim (PT), que realizou uma audiência pública sobre a situação dos haitianos, nesta semana  também foi acionado para ajudar no caso.

LEIA MAIS
Entidade de imigrantes haitianos denunciam ataque a tiros em São Paulo