Dirceu Travesso é reintegrado no Banco Nossa Caixa

Vitória do direito de organização da classe trabalhadoraNo dia 10 de setembro, foi assinado na 86ª Vara Trabalhista do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) de São Paulo o acordo de reintegração junto ao Banco Nossa Caixa do companheiro Dirceu Travesso, Didi, membro da Secretaria Executiva Nacional da Conlutas e do Movimento Nacional de Oposição Bancária (MNOB).

O governo Serra, que demitiu o companheiro Didi no início de maio de 2008, logo depois, fez o ataque definitivo contra o último banco público de São Paulo, vendendo a Nossa Caixa para o Banco do Brasil.

A reintegração foi resultado de um processo judicial junto com a campanha onde a solidariedade demonstrada por vários setores do movimento sindical foi decisiva.

Essas iniciativas, tendo à frente o Sindicato dos Bancários de São Paulo, que cumpriu um papel determinante, na defesa do direito de organização, contou com moções, atos, várias iniciativas de solidariedade e a negociação junto ao Banco do Brasil que no inicio de 2009 assumiu o controle acionário do Banco Nossa Caixa.

O manifesto encabeçado pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo e pela Conlutas que pedia a reintegração do companheiro Didi foi assinado pelas centrais sindicais (CUT, CTB, NCS, UGT, Força Sindical, Intersindical) além das representações dos bancários como a Contraf-CUT, a Contec, a Fetec-CUT SP e a FEEB SP-MS e de mais algumas centenas de organizações e ativistas.

A Conlutas agradece a todos os setores do movimento sindical, que independente das diferenças, se engajaram nas iniciativas de solidariedade e pela reintegração do companheiro Didi.

VEJA A FALA DE VALÉRIO ARCARY, NO ATO EM FRENTE AO BANCO NOSSA CAIXA