Dinheiro da Volks pode ter pago festinha para Luiz Marinho

Enquanto os trabalhadores fazem uma heróica greve para receber uma PLR de menos de 3 centavos por carro produzido, a empresa, a que mais exportou este ano, alega que não tem condições de atender. Diante disso, a pergunta que muitos operários se fazem é para onde vão os enormes lucros obtidos pela Volks?

Além de encher os bolsos dos donos e acionistas, informações divulgadas na imprensa mostram que a empresa usa parte desse dinheiro para comprar certos dirigentes sindicais para que traíssem os trabalhadores. A Volkswagen está sendo investigada por desvio de dinheiro da empresa para pagar orgias e viagens de turismo sexual a executivos e representantes da comissão de fábrica. A prática ocorreria desde a década de 90, com o objetivo de corromper os sindicalistas, facilitando (para os patrões) as negociações sobre as greves e reivindicações os trabalhadores.

Até então, as denúncias estavam restritas à Alemanha, sede da empresa, mas começam a surgir indícios de que a prática também era comum por aqui. Um dos dirigentes sindicais que está sendo investigado por ter recebido esses favorecimentos para prejudicar a categoria nas negociações com os patrões é o atual ministro do Trabalho, Luiz Marinho. Até poucos meses atrás, Marinho era presidente da CUT e já presidiu o Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, quando trabalhou na Volks.

Em entrevista ao jornal alemão “Die Welt“ publicada neste dia 20 de outubro, o ex-gerente de Recursos Humanos, Klaus Joachim Gebauer, principal acusado no escândalo, disse que na filial brasileira da empresa havia o mesmo sistema de corrupção da sua matriz na Alemanha. Gebauer conta que Luiz Marinho e o ex-diretor do conselho de fábrica Mário Barbosa estiveram em uma boate em Wolfsburg, na Alemanha, às custas da empresa. “Cinco garotas dançavam sobre as mesas e flertavam com os visitantes, assim como os homens gostam“, disse. Ele descreveu as “viagens de lazer“, nas quais “para as lideranças, tudo era perfeitamente organizado. Com hotéis de luxo e tudo o mais. Portanto, também mulheres“. Tudo ao melhor estilo das festas do PT em Brasília.

  • Trabalhadores da Volks completam três semanas de forte greve