Demitidos da Embraer são recebidos por Lula

Após não receber sindicato no dia 20 de fevereiro e de não pedir a reintegração à Embraer, Lula diz que vai “torcer” pelos demitidosO presidente recebeu diretores do sindicato, da Conlutas e trabalhadores demitidos da Embraer na tarde desta quarta-feira, no Palácio do Planalto. Lula se comprometeu a entrar em contato ainda hoje com o presidente da empresa, Frederico Curado, para pedir que a empresa abra negociação com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos. A reunião começou às 13h30 e durou cerca de uma hora.

A Embraer possui a maior jornada de trabalho das indústrias aeronáuticas em todo o mundo, com 43 horas semanais. O sindicato defende a redução. É a que paga um dos menores salários do setor (3,7 dólares/hora), ocupando a 15ª posição em relação a outros países. É menor que o salário médio pago pelas montadoras.

Ao ouvir esses dados, Lula se disse surpreso e disse que vai “torcer” para que o resultado da audiência de conciliação desta quinta-feira, 5, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Campinas, mantenha a suspensão das demissões. A audiência está marcada para as 9h. Será discutida a ação com pedido de anulação das 4.270 demissões ajuizada pela Conlutas, Força Sindical e Sindicatos dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Botucatu.

Os representantes do Sindicato apresentaram dados que comprovam que a Embraer não tem motivos para demitir. A empresa bateu recordes de faturamento nos últimos anos e tem em caixa 3,6 bilhões de reais, o que permite pagar todos os seus funcionários por pelo menos dois anos. Em 2008, a Embraer teve um lucro de cerca de R$ 250 milhões e, para 2009, a expectativa é do crescimento do número de aeronaves a serem entregues. O próprio governo tem intenção de comprar aeronaves C-390 para substituir as velhas da Força Aérea Brasileira.

A comissão também exigiu de Lula que, caso não haja reintegração dos demitidos, reestatize a Embraer. Lula não se manifestou a respeito desse pedido.

Torcer, presidente?
Se dependesse de torcida, os operários da Embraer já estariam de volta ao trabalho desde o dia seguinte às demissões. É preciso que Lula utilize o poder que tem e tome medidas concretas. Uma delas é a reestatização da Embraer. A outra, também urgente, é a criação de uma Medida Provisória que impeça as empresas de demitirem, da mesma forma que editou uma MP liberando mais de R$ 160 bilhões para os bancos.

Além disso, o presidente da Embraer, Frederico Curado, disse, em entrevista ao Último Segundo, que ” O governo estava informado de que a Embraer faria o corte” e que “autoridades de Brasília confirmaram depois, publicamente, que pessoas do governo estavam informadas”. É por isso que só a mobilização permanente dos trabalhadores pode garantir o emprego. Na quinta, a caravana dos demitidos segue para Campinas para acompanhar a audiência no TRT.

*Com informações de www.sindmetalsjc.org.br e agências