Curitiba: Metalúrgicos da Bosch votam massivamente a favor da greve

Nesta manhã de 17 de junho, na CIC (Cidade Industrial de Curitiba), os 4.600 metalúrgicos da planta da Bosch aprovaram massivamente greve por tempo indeterminado. Os operários repudiaram a proposta da empresa alemã no voto e com vaias.

A Bosch de Curitiba produz bombas injetoras para sistemas diesel e nos últimos anos é uma das empresas que pagou as menores PLR´s na categoria, apesar de ser uma das mais lucrativas. O lucro da empresa no Brasil em 2010 foi de R$ 4,5 bilhões, ao passo que o faturamento mundial foi de R$ 118 bilhões. A proposta apresentada aos trabalhadores e rejeitada por esmagadora maioria foi de R$ 4,8 mil para 100% das metas e de R$ 6 mil para 130% das metas.

A enorme vitória que obtiveram os metalúrgicos da Volks após uma longa greve, conquistando R$ 11,5 mil de PLR, os trabalhadores da Renault (R$ 12 mil de PLR) e da Volvo (R$ 15 mil de PLR), além das inúmeras autopeças e fábricas metalúrgicas de outros segmentos, fortificou o ânimo dos operários da categoria, que estão realizando uma onda de greves vitoriosas no parque industrial de Curitiba.

Na CNH (Case New Holland), que fabrica máquinas colhedoras e tratores agrícolas, os trabalhadores aceitarem nesta manhã sem greve a proposta da empresa de R$ 8 mil para PLR, valor 60% superior ao que foi pago no ano passado. Preocupadas com a onda de greves, algumas empresas estão apresentando propostas 60 – 70% superior ao que pagaram no ano de 2010 já no início das negociações.

O PSTU apoia greve dos operários da planta da Bosch. Os trabalhadores reivindicam PLR de R$ 9 mil para 100% das metas, e pela força da assembléia e disposição de luta que contaminou a todos, tem tudo para saírem vitoriosos.