Covid-19: A luta dos trabalhadores eventuais em Rio Claro (SP) é a luta de todos os trabalhadores

PSTU-Rio Claro

O PSTU-Rio Claro expressa seu enorme repúdio e indignação ao ato de covardia do governo municipal de Rio Claro, Juninho da Padaria (DEM), que, em meio à pandemia e a crise do combate ao Covid-19, decide dispensar sem salário quase 1000 trabalhadoras e trabalhadores eventuais da rede pública, ocasionando propositalmente uma situação de vulnerabilidade para essas pessoas. Esses funcionários, assim como os trabalhadores informais, não têm nenhum direito garantido, e não terão como se manter durante os períodos da quarentena, já que os serviços públicos estão gradativamente parando.

O prefeito Juninho da Padaria alega não ter justificativa para manter os salários dos trabalhadores eventuais, já que eles não têm nenhum vínculo empregatício formal com a prefeitura e não podem ganhar sem estar trabalhando. Ao mesmo tempo, o prefeito pede um prazo de prorrogação da dispensa de cerca de 500 cargos comissionados que já haviam sido considerados ilegais. A justificativa para deixar sem salário 900 famílias nesse momento não pensa nas necessidades dos trabalhadores. Essas pessoas, em sua maioria mulheres trabalhadoras da educação, continuarão tendo que arcar com suas contas, alimentação e sustento de suas famílias, e não terão sequer como arrumar outros “bicos” por ter que cuidar de seus filhos com a paralisação das escolas. E como pagarão as contas se o dinheiro que já era pouco não chegará por causa deste ataque?

Temos visto isto em todos os lugares do país, tanto no setor privado como no setor público, a dispensa de diversos trabalhadores e trabalhadoras eventuais ou terceirizados. Isso porque os patrões não estão preocupados em como os trabalhadores ficarão sem salário e os governos, verdadeiros representantes dos poderosos e da burguesia, só falam em “salvar a economia”. Em Rio Claro não é diferente, os trabalhadores eventuais têm desempenhado trabalho igual ao dos funcionários efetivos, sendo essenciais para os serviços públicos principalmente na área da educação, assim como em outros setores, e nessa hora não podem ser abandonados! O mínimo que se deve exigir é a garantia dos seus salários já. Todo apoio à luta dos trabalhadores eventuais de Rio Claro!

Em meio a crise do COVID-19 fica cada vez mais evidente que o sistema capitalista tem um único objetivo: lucrar acima de tudo, inclusive do desespero. Isso se dá desde o governo Municipal até o Federal onde vemos Bolsonaro fazendo piadinhas sobre a pandemia enquanto segue aprovando reformas que precarizam ainda mais a vida dos trabalhadores e joga na informalidade outros tantos. O capitalismo mata! Nós precisamos nos organizar para combater esses ataques em todas as esferas, implementar as medidas imediatas que defendam de fato a vida da classe trabalhadora e dos mais pobres:

Precisamos de uma alternativa socialista dos trabalhadores no combate à pandemia!

  • ESTABILIDADE NOS EMPREGOS COM SALÁRIO INTEGRAL, JÁ! Direito de condições para ficar em quarentena com salários mantidos.
  • GARANTIAS AOS DESEMPREGADOS E SUBEMPREGADOS: salário médio digno para todos os trabalhadores informais, alojamento para os que não tem casa, suspensão da cobrança de contas de água, luz e IPTU.
  • Garantir a manutenção do abastecimento e preços de itens básicos como alimentos.
  • REVOGAÇÃO DO TETO DE GASTOS PÚBLICOS A NÍVEL FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL JÁ! AMPLO INVESTIMENTO E FORTALECIMENTO DO SUS! Garantir equipamentos adequados aos que trabalham na saúde, distribuição gratuita de máscaras, álcool em gel e medicamentos à população. Estatização dos serviços de saúde com expropriação dos leitos de UTI privados, bem como a ampliação da oferta de leitos.