Contra a ilegitimidade da eleição, representante da Conlutas leva solidariedade ao povo hondurenho

Visita ao país é para dar apoio a movimentos sociais contra a eleição do dia 29O dirigente da Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas), Dirceu Travesso, embarca esta madrugada para Honduras. O objetivo da viagem é apoiar a Frente Nacional de Resistência contra o Golpe de Estado que está denunciando a ilegitimidade da eleição que ocorre no próximo dia 29 de novembro.

A eleição é considerada um acordo entre os golpistas e o imperialismo que os apóiam. Segundo comunicado da Frente Nacional de Resistência contra o Golpe, a eleição é ilegal por ser realizada no marco de um golpe militar de estado onde estão sendo negados direitos humanos básicos à população hondurenha.

O comunicado diz ainda que os corpos repressivos têm aumentado nos últimos dias e se intensificado a perseguição aos opositores do golpe. Acreditam que poderá ser decretado Estado de Emergência no país: “Até o ponto de declarar um Estado de Emergência que poderia ser o preâmbulo de uma ofensiva militar contra o povo desarmado” , diz o comunidado.

Segundo Dirceu Travesso, é importante denunciar a eleição. Esta eleição abre o precedente gravissimo por ser fruto de uma negociação com os golpsitas, por isso é um desastre que seja realizada a partir de um governo apoiado nas armas, e nós sabemos as conseqüências disso para os trabalhadores e para o povo, por isso é necessário combatê-la”.

Delegações de outros países também irão a Honduras para apoiar os movimentos sociais que estão denunciando o processo eleitoral hondurenho.