Conlutas é chapa 3 nos Correios do Rio de Janeiro

Nos dias 9, 10 e 11 de fevereiro ocorrerão as eleições para o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Rio de Janeiro (SINTECT-RJ), dirigido pelo PCdoB. Mudar a direção deste sindicato tem uma enorme importância política para a reorganização que está ocorrendo no movimento sindical e popular.

Três chapas estão inscritas. A chapa 1 é da CTB, diretoria do sindicato, que traiu a categoria e encerrou a recente greve no terceiro dia, aceitando o acordo coletivo com validade para dois anos e defendendo o projeto privatizante dos Correios S/A. É uma chapa aliada aos patrões dos Correios e ao governo Lula, sendo encabeçada por Ronaldão, um dos traidores da campanha salarial.

Em maio deste ano, a diretoria do SINTECT-RJ e a Assessoria de Gestão de Trabalho da ECT fizeram em parceria um Seminário de Relações Sindicais para arquitetar previamente o acordo coletivo de dois anos e a aprovação da proposta de Correios S/A. Depois, o diretor regional da ECT foi pessoalmente na sede do sindicato para agradecer pelos bons serviços prestados.

Já a chapa 2, ligada à corrente petista Articulação, também traiu a greve e defende o projeto dos Correios S/A. É encabeçada por Emerson “Estylo” que foi colocado na FENTECT pelas mãos do Cantoara, ex-dirigente da federação, que se vendeu para a ECT por um cargo comissionado com um super-salário de R$ 12 mil.

Campanha salarial em 2010
A Chapa 3 – Oposição Unida Prá Mudar, é a única contra o acordo bianual, sendo composta por 35% de militantes da Conlutas, juntos com o Movimento de Resistência e Luta (MRL), Alternativa Ecetista e Ecetistas em Luta. É apoiada por 17 sindicatos de de todo o país, que juntos estão organizando o seminário Contra os Correios S/A, que será realizado no SIND-JUSTIÇA/RJ, nos dias 30 e 31 de janeiro.

A Chapa 3 também está comprometida na organização do Congresso Extraordinário da FENTECT que será realizado no próximo semestre para bancar a Campanha Salarial deste ano e mudar a direção da Federação.

R$ 100 de aumento real é uma vitória da greve…
No final deste mês todos os trabalhadores dos Correios terão um aumento real de R$ 100, incorporado aos salários. Não à toa, tentando enganar a categoria, a direção do sindicato marcou as eleições sindicais para uma semana após o pagamento dos R$ 100.

Mas, com certeza, a categoria não é boba e sabe que essa foi uma vitória da greve nacional da categoria, que durou 14 dias, enquanto no Rio de Janeiro a greve foi encerrada já no terceiro dia para tentar enfraquecer a mobilização nacional.

Portanto, se não fosse a traição dos sindicalistas governistas, a categoria poderia estar ganhando os R$ 100 desde agosto (mês de data-base). Logo, cada trabalhador dos correios teve um prejuízo de R$ 600.

Recentemente, os membros da Comissão de PCCS da FENTECT, foram obrigados a ouvir um deboche do próprio diretor da ECT, Pedro Bifano, que afirmou: “Se vocês apertassem um pouco mais, o aumento real seria pago desde agosto, pois a ECT teria ‘bala na agulha´ para pagar e também para fechar o ACT com validade somente para um ano”. Agora sabemos sobre os pelegos da FENTECT tanto conversavam ao pé do ouvido nos intervalos da audiência no TST.

A categoria não irá aceitar que sejam pagos R$ 100 agora e o próximo ganho só em agosto de 2011. Isso na melhor das hipóteses, caso não ocorra um novo agravamento da crise econômica mundial que assombrou 2008 e continua dando fortes sinais que está longe do fim.

…Mas, ficar dois anos sem reajuste não dá! Campanha Salarial Já!
Até o ministro do TST, em audiência, declarou contrariedade ao acordo com validade para dois anos. Também o ministro Hélio Costa, diante da radicalização e força da greve, em entrevista no site G1 admitiu que o acordo coletivo poderia continuar valendo para somente um ano. Mas, obedientes ao governo federal, Ronaldão (chapa 1) e os demais pelegos do então comando de negociações demonstraram que não são “covardes” e com muita “coragem” defenderam o acordo bianual em todos os momentos da greve.

Os ecetistas sabem que não dá para esperar o próximo reajuste só em agosto de 2011. Por isso, neste ano terá outra campanha salarial nos Correios. Esta foi a decisão da Plenária Nacional realizada em São Paulo, em outubro passado, com a participação dos 17 sindicatos contrários ao acordo bianual, assinado de forma ilegal e fraudulenta. Para isso, já está sendo contratada uma assessoria jurídica nacional para a entrada de uma ação judicial no próximo mês para a anulação do acordo bianual.

Também será realizado um Congresso Extraordinário da FENTECT, ao final do primeiro semestre, para garantirmos na luta a campanha salarial e mudarmos a direção da FENTECT.

Se não for barrado, o acordo bianual terá força de lei, como quer o governo federal, para que não haja enfrentamos com a classe trabalhadora durante as eleições burguesas, que acontecem a cada dois anos e não mudam a vida dos trabalhadores.

SAIBA MAIS

  • Plenária nacional dos trabalhadores dos Correios repudia acordo bianual