CAs da PUC-SP repudiam seminário da UNE e da TV Globo

O Conselho de Centros Acadêmicos da PUC-SP publicou uma Carta de Repúdio ao Seminário em memória do Movimento Estudantil, promovido pela UNE com a TV Globo e Fundação Roberto Marinho. Leia abaixo a íntegra do manifesto, assinado pelos seguintes centros acadêmicos: CACS, CASS, Benevides Paixão, CAE, CA de PSICO, CA LEÃO XIII , CAFIL, CACEX (Campus Marquês de Paranaguá), Grupo Conexão (chapa eleita para gestão do CA 22 DE AGOSTO) e C.A Clarice Lispector (Letras).

“A TV Globo, Fundação Roberto Marinho, UNE, Museu da República e Petrobras estão realizando nos dias 09 e 10/12, quinta e sexta-feira, um seminário que inaugura o projeto Memória do Movimento Estudantil. O projeto organizado por estes sujeitos vai justamente contra os princípios e bandeiras históricas do Movimento Estudantil.

É notório que às Organizações Globo tiveram papel preponderante tanto no apoio ao golpe militar quanto na construção do regime. Construída a partir dessa lógica, hoje a Rede Globo se coloca como monopólio da comunicação brasileira fazendo com que seu projeto de sociedade, ligado à implementação de políticas neoliberais e o ataque a qualquer movimento social, seja hegemônico.

Ademais, o papel da UNE e sua direção, controlada pelo PCdoB/UJS, torna-se contraditório quando se associa a tal projeto, visto que, essa entidade ao invés de estar ao lado dos estudantes busca parcerias que negam sua própria história. Dentro dessa perspectiva a defesa da Reforma Universitária pela UNE entra em acordo com o projeto de sociedade que atende aos anseios das Organizações Globo e Fundação Roberto Marinho.

Contudo, o que mais chama atenção é a realização desse evento no Tuca, espaço de resistência do Movimento Estudantil e da sociedade contra a ditadura militar. Há tempos o Tuca tem sido usado como espaço de eventos “Globais” que destoam do seu significado histórico na construção de um espaço contra-hegemônico no aspecto político e cultural.

Cabe também a crítica ao fato da reitoria ajudar e abrir espaço para este evento, que resgata a memória do movimento estudantil, sem dialogar com o próprio movimento estudantil. Essa ação não fortalece o corpo dos estudantes, pelo contrário, já que o anúncio do projeto e do seminário aconteceram em uma época em que quase já não há aulas e poucos estudantes ainda estão vindo para a PUC.

Sendo assim, o Conselho dos Centros Acadêmicos da PUC-SP repudia a realização deste evento devido a forma como ele foi organizado, pelas instituições envolvidas e também devido à falta de uma discussão com os Centros Acadêmicos e estudantes da PUC.“