Fora Bolsonaro e Mourão!

Convocado para as 20h30 através das redes sociais, o panelaço contra Bolsonaro começou bem antes. Nem tinha dado 20h e as panelas já batiam, acompanhadas por gritos de “Fora Bolsonaro”, luzes piscando e alguns lugares até fogos e imagens projetadas em prédios. Às 20h30, intensificaram-se. Pelo segundo dia seguido, o governo Bolsonaro enfrentou protestos indignados pelo Brasil.

Confinados em casa por conta da pandemia de coronavírus, a população protestou como pôde. Até mesmo tradicionais redutos bolsonaristas, como Águas Claras (DF), registraram panelaço.

À tarde, durante a tragicômica entrevista coletiva de Bolsonaro e ministros, em que o presidente lançou mão de uma saraivada de mentiras, capitais como São Paulo e Rio de Janeiro já haviam contado com panelaços. Os dois pronunciamentos realizados por Bolsonaro só aumentou a indignação.

Já às 21h, horário convocado por Bolsonaro e apoiadores para um panelaço “a favor” do governo, houve silêncio ou, quando muito, uma ou outra panela solitária.

São Paulo, Vila Madalena

Rio de Janeiro, Copacabana

São Paulo, Bixiga

Projeção em São Paulo

São Paulo, Pirituba

São Carlos, interior de São Paulo

Brasília, Distrito Federal

Salvador, Bahia

Águas Claras, Distrito Federal

LEIA MAIS
Coronavírus : o capitalismo mata!