Bancários em greve lançam carta

O comando de bancários grevistas eleitos nas assembléias de base do Maranhão, Rio Grande do Norte, Bahia, Bauru e Florianópolis, reunidos em São Paulo no dia 02/10/2006, para representarem a categoria fortemente mobilizada Brasil afora, discutiram e resolveram o que segue:

Considerando:

1) Que a greve da categoria, iniciada dia 26/09, cresce vigorosamente a cada dia por todo o país;

2) Que apesar do calendário do Comando Nacional da Contraf/CUT apontar o início da greve para 04/10, a cada dia aumentam as adesões mesmo nas bases sindicais que seguem a orientação da própria Contraf;

3) Que a greve é expressiva nacionalmente no BB, na Caixa e demais bancos públicos, como BESC, BNB e BASA, e também cresce nos bancos privados;

4) Que é importante superar a tática do governo de não negociar diretamente as questões específicas dos bancos públicos, invariavelmente ignoradas na mesa única de negociação da Fenaban, como também ignoradas nas “pseudo-negociações específicas”, que nunca trouxeram qualquer resultado concreto aos bancários do BB e da Caixa;

5) Que as questões específicas (Cassi, Saúde Caixa, previdência, jornada de 6 horas sem redução de salário, isonomia para os novos bancários, reposição das perdas salariais, retorno do anuênio e antigo PCS, anistia dos dias parados) são muito caras aos bancários do BB e da Caixa para não serem tratadas adequadamente na mesa única da Fenaban;

6) Que para a greve ser vitoriosa é preciso as demais bases aderirem imediatamente a greve, particularmente São Paulo, maior concentração de bancários do país;

Resolvem:

1) Convocar a parte da categoria que ainda não tenha aderido ao já expressivo movimento a entrar urgentemente em greve para fortalecer ainda mais a luta dos bancários;

2) Conclamar assembléias que ainda não elegeram seus representantes para o Comando Nacional de Base que o façam para se somarem a este Comando;

3) Que estes representantes legitimamente eleitos pelos bancários grevistas devam participar da negociação com a Fenaban e bancos públicos, já a partir de hoje 03/10, para também exigir o não-desconto dos dias parados como um dos itens fundamentais da mesa;

4) Impulsionar as negociações dos bancos públicos em torno das mesas específicas, rompendo com a mesa única e reforçar a campanha unificada da categoria.

Assinam,

David Sá Barros
Representante de base do Maranhão (BB)

Juary Luís Chagas
Representante de base do Rio Grande do Norte (Caixa)

André Luís Esteves Mendes
Representante de base de Bauru-SP (Caixa)

Carlos Alberto Castilho
Representante de base de Bauru-SP (Caixa)

Neri Clademir de Azevedo
Representante de base da Bahia (BB)

Hamilton Garcez
Representante de base de Florianópolis-SC (BB)

Jorge Silva Oliver
Representante de base de Salvador-BA (Caixa)