Atos esquentam os tambores para o dia 17

protestos realizados nas capitais começam a ganhar força e preparam a marcha a BrasíliaPorto Alegre recebe Lula com protestos

Lula viajou para o Rio Grande do Sul e foi recebido com fortes protestos. No dia 27 de julho, um ato, convocado pelos servidores em greve, foi realizado com cerca de 700 pessoas. A passeata, entretanto, ganhava mais adesões na medida em que avançava pelas ruas da capital gaúcha e chegou a reunir duas mil pessoas.

Na manhã do dia seguinte, enquanto Lula estava Hotel Plaza São Rafael, um grupo de cerca de 50 manifestantes protestava novamente do lado de fora.

Houve forte repressão policial e quatro pessoas foram detidas, sendo três militantes do PSTU e um do P-SOL. No próximo dia 10 haverá um novo ato em Porto Alegre, que servirá também para esquentar a preparação das caravanas a Brasília, na marcha do dia 17. E, no dia 11, os estudantes estarão nas ruas, contra a corrupção e as reformas.

Ato no Rio de Janeiro reúne mais de mil

O amplo auditório da Associação Brasileira de Imprensa, no Centro do Rio, ficou pequeno para os mais de mil ativistas que se acotovelavam no dia 28 de julho. O ato pluripartidário foi convocado por partidos de diferentes matizes, como PDT, PSTU, P-SOL, PCB, PPS e PV e entidades como ABI, Clube de Engenharia, Conlutas, AEPET, Sintrasef, Sindsprev, Nova Central Sindical, Fórum Sindical dos Trabalhadores e DCEs.

O PSTU participou desta atividade de unidade de ação contra o governo, deixando claro sua política e se diferenciando dos partidos burgueses oposicionistas (como o PDT), dos reformistas e dos velhos pelegos. Foi ressaltado também que ali não se tratava de aliança eleitoral e que os agrupamentos presentes certamente seguiriam caminhos diferentes em diversas outras situações, mas neste momento é importante a unidade para lutar. “Não queremos que se consolide a idéia de que só há duas saídas, Lula ou PSDB. A saída é implantar um novo tipo de governo, onde a classe trabalhadora governe. E não se faz isso sem luta. Queremos convocar todas as organizações ao ato do dia 17 em Brasília”, afirmou Zé Maria, presidente nacional do PSTU.
Post author
Publication Date