Ato lembrará 65 anos da morte de Trotsky

Cartaz do ato em São Paulo
Reprodução

O PSTU de São Paulo e o Instituto José Luís e Rosa Sundermann irão promover um ato político na quinta-feira, 10 de novembro, para marcar o ano em que completam-se 65 anos do assassinato do revolucionário russo, em 1940, por um agente do governo de Stálin. O ato será no Teatro Tuca, na PUC-SP, local que foi palco para numerosas reuniões da esquerda nacional, principalmente durante a resistência à ditadura militar.

O evento começará às 18h, com a exibição de um documentário sobre a vida de Leon Trotsky, incluindo cenas de discursos nos primeiros anos da revolução russa. Em seguida, haverá uma apresentação teatral, feito por artistas socialistas de São Paulo, e, em seguida, uma palestra com Martín Hernándes, da direção da Liga Internacional dos Trabalhadores e da redação da revista Marxismo Vivo.

Além do pensamento político de Trotsky, Martín apresentará o debate sobre o balanço dos Estados operários do Leste Europeu, e as razões que levaram à sua derrocada. A restauração do capitalismo nestes países foi usada como argumento para a campanha imperialista que afirma que o socialismo é um projeto impossível de ser alcançado e que fez com que um amplo setor da esquerda vivesse um vendaval oportunista, em praticamente todos os países. Mas, quais foram os motivos que levaram a que a restauração acontecesse? Mas quando foi, de fato, que o capitalismo retornou àqueles países? Qual o sentido das ações das massas contra os governos burocráticos? Qual o papel que a burocracia cumpria naqueles estados? Como ficou o mundo e a correlação de forças depois destes acontecimentos e da destruição dos aparatos stalinistas? Estas e outras perguntas foram feitas à exaustão na década passada, ainda que em outras palavras. A palestra irá abordá-las, retomando diversos prognósticos de Trotsky e do argentino Nahuel Moreno, fundador da LIT-QI.

Para o PSTU, travar este debate é uma das melhores homenagens que podem ser feitas a Trotsky. O partido prepara-se para realizar um grande ato, reunindo centenas de pessoas. A convocação conta com cartazes, convites e filipetas, que estão sendo colados e distribuídas nos locais onde o partido tem atuação e em diversos pontos da capital. No dia, também estarão sendo vendidos a edição de `A revolução Traída`, de Trotsky, e um pôster, feito especialmente para marcar os 65 anos de sua morte.

As cidades do interior do Estado e da Grande São Paulo também estarão no ato, como São José dos Campos e Guarulhos. Muitos estão se programando para virem juntos, em carros ou ônibus. A militância também está convidando pela internet, enviando mensagens para os filiados, ex-militantes e simpatizantes do partido. Todo este esforço fará do ato não só um espaço de reencontro entre as diversas gerações de militantes, mas, principalmente, uma demonstração de que o trotskismo segue com força, em sua luta para a construção do partido mundial da revolução.

  • ATO POLÍTICO 65 ANOS SEM TROTSKY
    Quinta-feira, 10/11, 18h
    Teatro Tuca (PUC-SP)
    Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes – São Paulo

    Mais informações: [email protected]