Ato em defesa de palestinos reúne mais de 700 pessoas em Curitiba

No dia nove de janeiro, sexta-feira, aconteceu em Curitiba (PR) uma manifestação em solidariedade à luta do povo palestino e contra o massacre desencadeado por Israel com os ataques à Faixa de Gaza.

O ato que teve início as 11h nas escadarias da Praça Santos Andrade, tradicional ponto de concentração das manifestações, contou com a presença de mais de 700 pessoas, alguns órgaos da impressa divulgaram que a passeata chegou a ter mil participantes, e seguiu rumo à Boca Maldita, local de manifestações políticas no centro da cidade. Durante o ato, pessoas foram se somando à manifestação, dentre elas comerciantes da comunidade árabe e populares da Rua XV.

Alguns manifestantes carregavam sapatos em protesto e dentre as palavras de ordem gritavam “Israel é assassino do povo palestino”. Ao final no ato uma bandeira de Israel foi queimada demonstrando indignação com a existência de um estado fascista e sionista, responsável, desde o inicio dos bombardeios, por quase 800 mortos em Gaza. Infelizmente nao houveram falas das entidades e organizações presentes ao final da manifestação.

O Comitê Árabe Brasileiro, que se constituiu para promover uma campanha contra os ataques de Israel aos palestinos, reuniu-se no sábado após a manifestação e segue com ações esta semana: uma exposição diária de fotos na Boca Maldita e um culto na mesquita da capital com líderes de várias religiões. Está sendo programada uma vigília e, se os ataques continuarem, um novo ato pode ocorrer. O comitê volta a se reunir nesta terça-feira.

A Frente de Esquerda Curitiba, composta pelo PCB, P-Sol e PSTU, lançou um manifesto exigindo o fim do Estado de Israel, o rompimento das relações do governo Lula com Israel e a retidada das tropas brasileiras do Haiti.