Após negociação, greve continua em Fortaleza

Empresários da construção civil recuam, aceitam reajuste, mas insistem em descontar dias paradosA greve dos trabalhadores da construção civil de Fortaleza (CE) entra em sua terceira semana. No último dia 2, sexta-feira, ocorreu uma nova rodada de negociação entre representantes do sindicato dos trabalhadores e o Sinduscon-CE, o sindicato patronal. A reunião ocorreu na Delegacia Regional do Trabalho e teve início às 9 horas, estendendo-se por mais de três horas.

Os operários em greve desde o dia 22 de abril saíram dos piquetes direto para a sede do sindicato, aonde aguardaram o resultado das negociações. A chegada dos diretores foi recebida com festa pelos operários. Em assembléia, os diretores informaram aos trabalhadores o resultado das negociações, alertando desde o início que a greve teria que continuar, por culpa dos patrões.

O avanço nas negociações mostrou que a patronal sentiu a força da greve da categoria. Além do reajuste, pontos da pauta como a profissionalização dos betoneiros foram atendidos. No entanto, a proposta da patronal ainda é insuficiente e os patrões insistem no desconto dos dias parados. “Não existe isso de pagar os dias parados”, chegou a afirmar o representante da patronal, justificando para isso o fato de que eles “não reconheciam greves”.

Greve continua
Os representantes do Sinduscon-CE se comprometeram a apresentar nova proposta no próximo dia 6, terça-feira. Até lá, a greve continua. “Não temos nada garantido ainda. Precisamos continuar e fortalecer nossa greve em todos os canteiros de obras”, afirmou Zé Batista, diretor do sindicato.

Os operários votaram por unanimidade a continuidade da greve, mostrando forte disposição de ir até o fim por suas reivindicações.