ANEL realiza primeira assembleia nacional

Está surgindo um novo movimento estudantil!Nos dias 12 e 13 de setembro, na sede do DCE da USP, centenas de estudantes participaram da 1ª Assembleia Nacional da ANEL, a nova entidade estudantil recém fundada no Congresso Nacional dos Estudantes.

Marcada por muitos debates, a reunião contou com a presença de 388 estudantes credenciados de todas as partes do país, refletindo a maior parte das lutas que o movimento estudantil vem protagonizando: estavam presentes aqueles que lutam para derrubar a governadora do Estado do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, os estudantes de Belém do Pará que lutam contra o corte de vagas na universidade estadual (UEPA) e os anfitriões da reunião, os estudantes da USP, em plena luta por eleições diretas para reitor.

Bem diferente das reuniões de diretoria da União Nacional dos Estudantes, a Assembleia Nacional da ANEL foi fruto de muito esforço de jovens que viajaram milhares de quilômetros para decidir o futuro da ANEL. E um grande marco dessa reunião foi justamente o resgate de diversas práticas do movimento estudantil: a democracia interna, a independência financeira e a unidade com os trabalhadores, parte da concepção da nova entidade.

Por isso, fazemos o chamado a todo o movimento estudantil combativo e também à Oposição de Esquerda da UNE para virem construir essa alternativa. A UNE já há muito não serve mais enquanto um instrumento de luta dos estudantes brasileiros. A primeira reunião demonstrou que a ANEL serve a esse objetivo e está aberta a todos os estudantes que querem lutar contra os projetos do governo para a educação e por um novo projeto de universidade. O primeiro passo já foi dado: a primeira grande tarefa da ANEL é a construção de um Projeto de Lei, alternativo ao Prouni e ao Reuni, que dê a milhares de jovens brasileiros excluídos do sistema público de ensino superior, uma educação de qualidade.

Principais resoluções da 1ª Assembleia Nacional da ANEL:

  • Elaboração de um Projeto de Lei da ANEL, alternativo ao Reuni e ao ProUni de Lula e que materialize uma proposta para a expansão do ensino público com qualidade.
  • Incorporação na campanha “O Petróleo tem que ser nosso!”, Contra o Marco-Regulatório do governo Lula e em defesa de uma Petrobrás 100% estatal!
  • Derrotar o golpe nas ruas! Todo apoio à resistência do povo hondurenho! – arrecadação de dinheiro nas entidades estudantis para enviar à Honduras
  • Organizar a luta contra a repressão nas universidades e também nas favelas!

    Veja o relato completo da reunião da ANEL no blog da entidade: www.anelivre.blogspot.com