Aliança entre PSOL e PV impede a Frente de Esquerda em Porto Alegre

No último dia 17, a direção do PSOL de Porto Alegre (RS) deu mais um passo no sentido de consolidar a aliança com o PV. Neste dia, foi lançada a candidatura do Presidente Estadual do PV, Edison Pereira, para a vaga de vice–prefeito na chapa de Luciana Genro. É o mesmo PV e pessoa que ocupou, na eleição de 2004, a vaga de vice-prefeito na chapa do PP.

Dias antes, o PSTU e o PCB haviam solicitado uma reunião para discutir mais uma vez a reedição da Frente de Esquerda e a ruptura do PSOL com o PV. Diante do não agendamento da reunião e do anúncio do lançamento do vice, o PSTU e o PCB protocolaram uma carta na sede do PSOL e divulgaram a mesma na imprensa e ao movimento.

A carta destaca a posição dos dois partidos que a assinam contrária à coligação com o PV e a preocupação em reeditar a Frente de Esquerda. Um trecho da carta ilustra a posição comum: “nos parece importante que voltemos a discutir a reedição da Frente de Esquerda e por conseqüência a desistência do PSOL em buscar a coligação com o PV”.

Além de não marcar a reunião, o PSOL fechou questão ao lançar o vice. Em Porto Alegre, caberá ao PSTU e ao PCB seguir lutando pela frente de esquerda e denunciar todos os setores governistas e burgueses, inclusive o PV. Como se sabe, o PV é um partido burguês, que é parte do governo Lula.

PSTU DEFINE SUAS PRÉ-CANDIDATURAS
Com a consolidação da chapa PSOL-PV em Porto Alegre e nossa definição de aceitar esta coligação, o PSTU estará apresentando como pré-candidata às eleições a companheira Vera Guasso.

Verinha, como é conhecida no movimento, é uma dirigente histórica das principais lutas. Foi candidata à senadora pela Frente de Esquerda em 2006 e candidata à prefeitura em 2004. Nossa pré-candidatura será uma alternativa classista, de oposição ao governo Lula e aos partidos de direita que hoje governam a prefeitura da capital gaúcha (PMDB) e o governo do Estado (PSDB).

A pré–candidatura de Vera Guasso também será uma alternativa feminista, porém, com um perfil claro de classe e socialista, bem diferente das candidaturas de Maria do Rosário (PT) e Manuela Dávila (PCdoB). Infelizmente, também diferente de Luciana Genro (PSOL), que, com a coligação com o PV, perderá a coerência na aplicação do programa de independência de classe e de um perfil de oposição ao governo federal.
O PSTU de Porto Alegre também já definiu Júlio Flores como pré-candidato a vereador.

DISCUSSÕES COM PCB CONTINUAM
O acordo político de lutar pela frente de esquerda e se contrapor à coligação PSOL/ PV aproximou muito o PSTU e o PCB.

Nosso partido vai lutar para que seja possível constituir as bases de uma frente entre PSTU e PCB na capital gaúcha. Além dos acordos políticos que pudemos verificar em várias reuniões já realizadas, queremos contar com o PCB para a candidatura a vice na chapa majoritária encabeça pela companheira Vera Guasso.

Uma possível frente entre PSTU/PCB em Porto Alegre cumpriria o papel de “defender um programa classista e anti-capitalista, dar um caráter nacional ao debate e fazer um balanço duro da traição do PT e do governo Lula e a necessidade de seguir acreditando na transformação social, na revolução socialista”, conforme definimos em nossa carta.

Além de ser fundamental para Porto Alegre, uma possível coligação PSTU/PCB se tornaria uma referência para toda a vanguarda conseqüente que vem rompendo com o PT e não deseja a reedição do caminho da traição deste partido, de alianças com a burguesia.

Respeitamos as discussões internas que o PCB precisará para fazer suas definições. Mas, com certeza, estes debates estarão à altura da responsabilidade que cabe a nossos partidos em Porto Alegre.

Post author Altemir Cozer, de Porto Alegre (RS)
Publication Date