A Juventude exige o seu lugar !

A burguesia reserva para a juventude seu tratamento mais hipócrita. Os jovens são sempre “o futuro do país“, a esperança. No entanto formam o setor que lidera as estatísticas de desemprego, o que está entre os que mais sofrem com a violência tanto dos grupos de extermínio quanto da polícia.

Se o desemprego é um pesadelo para os trabalhadores, entre os jovens é muito mais do que isso. Segundo levantamento feito nas principais regiões metropolitanas do Brasil, o desemprego na faixa etária entre 15 e 21 anos chega a 50%.

O PSTU defende uma jornada de trabalho de 30 horas semanais, sem redução de salário, para todo jovem em idade escolar! Emprego, com carteira assinada e estabilidade para todos os jovens!

A exploração é brutal e as condições de trabalho péssimas. De 55% a 70% ganham menos que um salário mínimo por mês. Somente 9% dos jovens entre 10 e 14 anos e 35% dos que têm entre 15 e 17 anos, têm carteira assinada. 77% cumprem jornadas superiores a 40 horas semanais de trabalho. O resultado dessa brutal exploração é que 60% dos que estudam repetem o ano por não terem condições de conciliar o trabalho com a escola pela longa e árdua jornada de trabalho.

Os jovens estudantes das escolas secundárias e faculdades particulares enfrentam no dia a dia a repressão da direção quando tentam organizar um grêmio ou centro acadêmico para lutarem por seus direitos ou mesmo em relação às suas roupas e comportamento. O PSTU defende o fim da repressão e o direito de livre organização e manifestação dos estudantes dentro das escolas!

Na educação pública a juventude vem lutando com o descaso do governo, que com seu projeto privatista, visa desresponsabilizar o Estado de suas obrigações sociais. Assim, todo ano são bilhões cortados da saúde e educação para, principalmente, pagar a dívida externa. Como resultado nossas Universidades vem sendo privatizadas, como exemplo a UFMG que já cobra uma taxa semestral além de várias outros tipos de taxas, além de terceirizar a assistência estudantil, não renovar o quadro de professores entre outros problemas.

As drogas se converteram numa questão central para a juventude brasileira. Está ligada intimamente à repressão que sofrem os jovens na mão da poli cia ou dos grupos de extermínio. O homicídio é hoje a principal causa de morte entre os adolescentes entre 15 e 17 anos.Em estados como Rio de Janeiro, São Paulo e Pernambuco, os homicídios são os responsáveis por mais da metade das mortes de jovens entre 15 e 24 anos. A polícia é a principal responsável pelo assassinato de jovens, seguida pelos grupos de extermínio, com 25% dessas mortes.

Nós achamos que só com a construção de uma nova sociedade, o Socialismo, a juventude, os trabalhadores, os sem terra e todo o povo pobre do nosso país poderá ter uma alternativa. O capitalismo já mostrou que só traz miséria e destruição, venha junto com a gente construir uma Revolução que coloque abaixo o capitalismo e construa o socialismo!