90 anos da Revolução Russa

A luta pela revolução socialista internacional continua vigenteNo dia 7 de novembro, completaram-se os 90 anos da Revolução Russa, um dos fatos políticos mais importantes do século XX. O calendário juliano, vigente nessa época na Rússia, fez com que este acontecimento ficasse registrado como Revolução de Outubro ou, simplesmente, Outubro.

Em 1917, pela primeira vez na história, os trabalhadores de um país destruíram um Estado burguês, tomaram o poder e conseguiram defendê-lo para iniciar a construção de um tipo de Estado desconhecido até então (a URSS) e o caminho rumo ao socialismo.

As conquistas obtidas pelos trabalhadores na URSS foram impressionantes: eliminaram-se chagas crônicas do capitalismo, como o desemprego e a pobreza extrema, e foram alcançados níveis altíssimos de educação e saúde públicas. Em seus primeiros anos, também houve grandes avanços na condição da mulher e um desenvolvimento extraordinário da arte, libertada do mercantilismo burguês.
Não existem precedentes de avanços tão importantes em todos esses campos, nem sequer nos períodos de maior desenvolvimento capitalista. São fatos históricos impossíveis de ocultar em momentos em que o capitalismo nos mostra suas piores e mais destrutivas consequências.

A LIT-QI quer render sua homenagem a essa gigantesca tarefa emprendida pelos trabalhadores russos. Não o fazemos como quem visita um museu e se emociona frente a uma representação do passado, mas porque consideramos que as lições da revolução têm hoje mais vigência do que nunca. Em especial, que é possível lutar pelo poder operário para iniciar a construção do socialismo, através de um grande processo de transformações políticas, econômicas e sociais.

As lições de Outubro

Apesar das mudanças que, evidentemente, se produziram no mundo, os principais ensinamentos dessa experiência continuam totalmente válidos e essenciais para o estudo e a discussão.

• O capitalismo imperialista só oferece à humanidade um crescimento cada vez maior da pobreza, da miséria, da fome, guerras e a destruição da natureza. Recordemos que em 1917 estava em curso a terrível matança que significou a I Guerra Mundial. Desde então, essa realidade não fez mais do que se agravar, apesar de todos os avanços da técnica.

• O único caminho para modificar este estado de coisas é uma revolução operária e socialista que acabe com a raiz do sistema capitalista imperialista. Não há nenhuma possibilidade de “reformá-lo” ou “humanizá-lo”.

• Para iniciar esse processo de revolução operária e socialista é necessário tomar o poder em cada país e destruir o estado burguês, especialmente suas Forças Armadas, o pilar básico desse estado e desse poder.

• Depois da tomada do poder, é necessário expropriar a burguesia, transferindo ao novo Estado operário o controle dos principais recursos da economia, estabelecer o monopólio estatal do comércio exterior e aplicar um plano econômico central a serviço das necessidades dos trabalhadores e do povo. Foi isso que permitiu os gigantescos avanços econômicos e sociais da URSS.

• É necessário construir um estado de novo tipo, totalmente diferente do velho estado burguês, tanto em sua base social como em seu funcionamento. Esse novo estado operário deve estar baseado em instituições dos trabalhadores e do povo, que permitam resolver democraticamente os grandes problemas e, ao mesmo tempo, garantir a execução das medidas adotadas. Os sovietes russos eram “conselhos” integrados por representantes eleitos diretamente pelos trabalhadores de uma fábrica e os camponeses pobres de uma região. Eles deviam prestar contas de sua atuação diante de sua base. Se não cumprissem o mandato votado, podiam ser substituídos por essas bases.

• A democracia operária, e as instituições que a expressam, são pilares imprescindíveis na construção de um processo verdadeiramente socialista. O socialismo só pode surgir como resultado da mobilização e organização autônomas da classe operária. Toda tentativa de dirigir burocraticamente esse processo através de “secretários gerais geniais” ou por “comandantes infalíveis” está condenada à degeneração e ao fracasso.

• Na URSS, só as terríveis condições da guerra civil (1918-1921), impulsionada pela burguesia e apoiada pela intervenção de 14 exércitos estrangeiros, levaram Lenin e Trotsky a restringirem a democracia operária. Para eles, era uma situação de exceção que devia ser rapidamente corrigida quando as condições o permitissem. Depois, a burocracia stalinista converterá essa exceção em regra e transformará os sovietes e os organismos do partido em uma horrível caricatura do que foram.

• Assim como Marx, Lenin e Trotsky consideravam que o sistema socialista deveria partir, no mínimo, de um nível de desenvolvimento econômico equiparável ao do capitalismo mais desenvolvido. Dado que a Rússia era um país capitalista atrasado, eles afirmavam que a URSS não iniciava diretamente a construção do socialismo, mas sim de um período de transição cuja duração dependeria da revolução socialista internacional.

• Para dirigir conscientemente as distintas etapas do processo, é necessário a construção de um partido revolucionário centralizado democraticamente, segundo o modelo proposto por Lenin, desde 1903. Essa combinação contraditória (o centralismo e a democracia interna) é a única que permite dar forma à ferramenta que as distintas tarefas da revolução exigem. Deve ser centralizado e disciplinado na ação, porque necessita atuar com uma férrea unidade para enfrentar as mais difíceis provas da luta de classes (a tomada do poder, a expropriação da burguesia, guerras civis, etc). Junto com isso, deve ter também a mais ampla democracia interna para elaborar a melhor análise da realidade e as melhores respostas a essas difíceis provas. Os debates nos congresos e organismos do partido bolchevique eram de uma extraordinária riqueza e intensidade: nenhuma das grandes decisões era votada por unanimidade. Posteriormente, o stalinismo transformou este partido em uma sinistra caricatura.

• A revolução socialista se inicia com a tomada do poder em um país, mas só pode triunfar estendendo-se aos demais países do mundo, especialmente às principais potências imperialistas. Todo triunfo nacional será provisório enquanto o imperialismo não for derrotado mundialmente. Lenin e Trotsky sempre consideraram que a URSS, pelo atraso econômico herdado, só poderia sobreviver se a revolução se estendesse à Europa ocidental, em especial à Alemanha, o país mais desenvolvido do continente. Para eles, Outubro deveria ser o estopim da revolução européia e mundial. A este objetivo dedicaram seus maiores esforços. Inclusive, em meio à guerra civil, em 1919, fundaram a III Internacional para construir uma direção revolucionária mundial com peso de massas.

• A revolução socialista se inicia com a tomada do poder em um país, mas só pode triunfar estendendo-se aos demais países do mundo, especialmente às principais potências imperialistas. Todo triunfo nacional será provisório enquanto o imperialismo não for derrotado mundialmente. Lenin e Trotsky sempre consideraram que a URSS, pelo atraso econômico herdado, só poderia sobreviver se a revolução se estendesse à Europa ocidental, em especial à Alemanha, o país mais desenvolvido do continente. Para eles, Outubro deveria ser o estopim da revolução européia e mundial. A este objetivo dedicaram seus maiores esforços. Inclusive, em meio à guerra civil, em 1919, fundaram a III Internacional para construir uma direção revolucionária mundial com peso de massas.
Post author
Publication Date