PSTU-PE: Abaixo a repressão do governador Paulo Câmara

1910

Todo apoio à luta dos policiais militares de Pernambuco que lutam por melhores condições de salário e trabalho

Os cabos e soldados estão se mobilizando por melhores condições de salário e de trabalho e decretaram a implementação da Operação Padrão que, nesse momento, significa não vender  suas folgas que os deixa fatigados e não aceitar efetuar patrulhamentos motorizados em viaturas que estejam em confronto com o Código de Trânsito Brasileiro, tais como: documentação irregular,  iluminação veicular defeituosa, entre outros.

Diante de suas reivindicações, o governo do estado endurece com os policiais, colocou o Exército nas ruas gastando mais de 2 milhões de reais, mandou prender o presidente e vice-presidente da associação de cabos e soldados que só foram soltos por força de ação judicial. E agora, Paulo Câmara busca novamente endurecer com a associação, cortando a liberação de quatro diretores da associação de suas funções na PM para exercerem atividade sindical e tentando impedir que continuem defendendo os policiais.

A política do governo estadual é atacar o conjunto dos servidores públicos, incluindo os PMs, querem que os trabalhadores paguem pela crise, ao mesmo tempo que dá isenções fiscais para os empresários. O Exército nas ruas, uma medida que, além de não dar segurança para a população, criou um clima de guerra na cidade. Agora, o governo quer acabar com as férias dos policiais, no entanto nada disso garante a segurança da população.

Por outra política de segurança
O “Pacto pela Vida” faliu, pois, a violência só fez crescer no estado em todos os aspectos, e não apenas a roubos e furtos, mas em relação às mulheres, LGBTS e negros, pois uma política de segurança pública que privilegie ações meramente repressivas não dará resultado, inclusive os próprios policiais têm sido vítimas da violência que impera no estado.

A atual política do governo serve aos dominadores e não aos trabalhadores, teremos de ter saúde, educação, emprego e moradia, sem isso não se garante segurança. É necessário desmilitarizar a PM e criar uma polícia unificada e civil, científica, com democracia e com uma visão social, não racista, não machista e não homofóbica.

Estamos com os cabos e soldados
Estamos com os policiais contra o governador e exigimos abertura de negociações com a associação de cabos e soldados, o atendimento das reivindicações salariais e melhores condições de trabalho, fim de toda a repressão a quem participa do movimento e direito à organização sindical dos policiais.

Não basta, contudo, apoiar as pautas dos policiais, é necessário fazer um chamado a esses trabalhadores para, a partir da sua experiência de luta, serem ganhos para estar do lado dos lutadores e do povo pobre, e não ao lado da repressão do Estado.

– Apoio à luta dos policiais por melhores condições de trabalho e salário.

– Abaixo a repressão de Paulo Câmara

– Direito de greve e a organização sindical dos policiais militares.

– Exigimos a abertura imediata das negociações com a associação de cabos e soldados.

– Fim da perseguição aos policiais e aos membros da associação de cabos e soldados

– Pela desmilitarização da PM e a formação de uma polícia civil unificada, cientifica e democrática, controlada pela população.

PSTU-Pernambuco