Nota pública do PSTU sobre o escândalo de corrupção no Pará

14

Contra a corrupção na Assembléia Legislativa do Pará!
Prisão e confisco dos bens de corruptos e corruptores!

Nas últimas semanas, veio à tona um escandaloso esquema de corrupção envolvendo ex-deputados e funcionários da Assembléia Legislativa do Estado do Pará (Alepa). Ex-deputados como Domingos Juvenil, Júnior Hage e Robgol, além de vários funcionários da casa (incluindo o atual superintendente do Detran, Sérgio Duboc) são acusados de contratação de funcionários fantasmas, facilitação de empréstimos irregulares e fraudes na Previdência e no Imposto de Renda. A polícia e o Ministério Público encontraram, depois de mandados de busca e apreensão decretados pela Justiça, cerca de R$ 40 mil em tíquete-alimentação e R$ 500 mil em espécie, na casa de Robgol. Mas suspeitas-se que o esquema aconteça desde 1993.

Uma soma incalculável de recursos públicos pode ter ido parar nas mãos de meia-dúzia de políticos e funcionários corruptos. E isso num Estado onde quase 50% da população vive com até um salário mínimo e é campeão em conflitos de terra e precarização na saúde, educação e segurança pública.

A corrupção é um câncer que é próprio do sistema capitalista, pois nesse sistema não há fronteiras entre o público e o privado e os ricos controlam o poder, a economia e a justiça. A corrupção é uma prática que aprofunda a miséria e a desigualdade social. Só os patrões se beneficiam com ela.

Esse escândalo de corrupção, contudo, não é o primeiro e nem será o último em nosso Estado. A impunidade de casos anteriores, como o caso da CERPASA no primeiro governo de Simão Jatene (PSDB), ou o do kit escolar (do governo Ana Júlia) demonstram que não podemos confiar nas investigações da Justiça burguesa ou em CPI´s comandadas por deputados que não merecem nenhuma confiança do povo.

O PSTU chama os trabalhadores e os movimentos sociais de nosso Estado a protestar contra a corrupção na Assembléia Legislativa e exigir quebra do sigilo fiscal, bancário e telefônico de todos os envolvidos, além da prisão e confisco dos bens de corruptos e corruptores. Somente com nossa mobilização permanente contra esse regime podre poderemos acabar com a impunidade e impedir que os políticos corruptos sigam no poder desviando o dinheiro público em proveito próprio.

  • Pela quebra do sigilo fiscal, bancário e telefônico dos políticos!
  • Prisão e confisco dos bens de corruptos e corruptores!
  • Todos às ruas contra a corrupção na ALEPA!

    Belém, 26 de abril de 2011

    Cleber Rabelo
    Presidente Estadual do PSTU