10 cartazes para conhecer a URSS

11132
"Vida longa à Revolução Socialista!"

Em 2017 completam-se 100 anos da Revolução Russa. Pela primeira vez na história, os trabalhadores tomaram o poder e passaram a construir um país baseado no socialismo. As conquistas e as transformações foram muito rápidas e intensas. Em todas as áreas da vida cultural e social, a Revolução provocou grandes mudanças.

E o design gráfico não ficou de fora disso, a começar pelo surgimento de uma vanguarda artística russa, fundadora do movimento construtivismo. Muitos artistas colocaram seus trabalhos a serviço da construção da nova sociedade, não diferenciando suas artes da propaganda da Revolução. Por conta do alto grau de analfabetismo da época, os cartazes acabaram cumprindo um importante papel na educação sob o novo regime.

Fizemos uma seleção de dez temas que ajudam a conhecer as conquistas da Revolução de Outubro e o que se passou na URSS.

 

1. “Todo poder aos soviets! Paz aos povos! Terra aos camponeses! Fábricas e usinas aos trabalhadores!”

Cartazes comemorando a Revolução eram muito comuns. Nesse, da década de 20, podemos ler: “Todo poder aos soviets! Paz aos povos! Terra aos camponeses! Fábricas e usinas para os trabalhadores!”. Uma referência direta as Teses de Abril, que ficaram conhecidas pelo lema “Pão, paz e terra”. Era uma reivindicação para a saída da Rússia da Primeira Guerra Mundial, pela reforma agrária e pelo combate à miséria, antecedendo a tomada do poder pelos bolcheviques. Na imagem, Lênin segura uma edição do jornal Pravda.

 

2. “Derrotar os brancos com a cunha vermelha!”

Clássico dos clássicos, produzido pelo artista El Lissitzky, grande nome da vanguarda construtivista russa. Logo após a tomada do poder pelos bolcheviques, eclode a Guerra Civil Russa. O conflito se estendeu até 1922, quando o Exército Vermelho (bolchevique) derrota o Exército Branco (czaristas e liberais [cadetes]).

 

3. “Soviets e eletrificação são as bases de um novo mundo”

Ainda em 1920, parar tirar a Rússia da crise, é elaborado o GOELRO. Trata-se de um plano de recuperação econômica que previa a eletrificação de todo o país. O plano contou com a supervisão direta de Lênin e foi considerado o modelo para os Planos Quinquenais que viriam depois. A eletrificação foi um tema recorrente na propaganda soviética.

 

4. “Derrotar a besta do fascismo!”

Já sob o comando de Stálin, a URSS tenta não se envolver na Segunda Grande Guerra. Mas em 1941, os nazistas invadem o território soviético através da Operação Barbarossa. A URSS decide então entrar no conflito, impondo duras baixas aos nazistas, como na batalha de Stalingrado. Os custos para a URSS também foram altíssimos.

 

5. “Abaixo a escravidão da cozinha! Agora você tem um novo modo de vida!”

Uma das grandes conquistas da Revolução de Outubro foram os direitos das mulheres. No centro, uma mulher toda de vermelho, representando a Revolução de Outubro, abre a porta para uma segunda mulher que está ocupada com trabalho doméstico. Através da porta é possível ver um clube, uma fábrica, um berçário e um restaurante. Para incluir a mulher na vida política e nas decisões da vida pública, era preciso libertá-la do trabalho doméstico. Assim, a política bolchevique de inclusão feminina previa a socialização do trabalho doméstico através do Estado, responsável pela construção de lavanderias, creches e restaurantes públicos, como mostra o cartaz.

 

6. “Não deixe nada solto no andaime”

Com a rápida industrialização promovida pela economia planificada, a URSS acabou descobrindo, na prática, a importância da segurança do trabalho. É possível encontrar inúmeros cartazes sobre o tema. Em geral, todos um tanto violentos.

 

7. “A religião é um veneno. Cuidem das crianças”

A União Soviética foi o primeiro país a ter como objetivo o fim da religião. Os bens da Igreja foram confiscados e muito se investia propaganda ideológica ateísta e contra os cultos religiosos. Publicações como a Bezbozhnik, que tinha como objetivo promover o ateísmo e a desvalorização da religião por meio de conteúdo satírico e humorístico, chegaram a ter uma tiragem de 200.000 exemplares. Na imagem, uma velha tenta arrastar uma menina a uma Igreja decadente. A garota resiste, indicando sua preferência por uma escola.

 

8. “Venha com a gente para as fazendas coletivas, camaradas!”

Para resolver o problema da agricultura, a URSS, já sob o comando de Stálin, deu cabo a um processo de coletivização forçada entre 1929 e 1931. A coletivização estava prevista no I Plano Quinquenal. A partir disso foram criados os kolkhoses (cooperativas baseadas na pequena e média propriedade) e os sovkhoses (fazendas estatais baseadas em grandes propriedades). A medida foi um tanto controversa, principalmente pelo fato de Stálin ter usado as forças armadas para cumprir seu objetivo. A Oposição de Esquerda (liderada por Trotsky e Preobrajensky) e a Oposição Unificada (liderada por Zinoviev, Kamenev e Krupskaya) também defendiam a coletivização como saída para a crise agrária. Ao contrário de Stálin, no entanto, defendiam o uso de incentivos econômicos e meios ideológicos para conseguir o consentimento do campesinato.

 

9. “Nós não vamos deixar isso acontecer novamente”

Década de 1950. Com a morte de Stálin, em 1953, a reação ao seu regime veio rapidamente. Muitos dos seus apoiadores foram perseguidos. No cartaz, Stálin como um edifício imponente, totalmente feito de celas de prisão – uma referência à perseguição generalizada promovida no período em que eles estava no poder. Há um cartaz similar feito com uma suástica no lugar de Stálin denunciando o nazismo.

 

10. “Através dos mundos e das eras”

A URSS pode ter perdido a corrida até à Lua, mas não perdeu a corrida espacial. Em 1957, lançou o Sputnik, primeiro satélite em órbita. No mesmo ano, a cadela Laika se torna o primeiro ser vivo terrestre a ser lançado ao espaço. Em 1961, lançam Iuri Gagarin, primeiro homem a viajar pelo espaço e a retornar com vida. Em 1962, a primeira mulher, Valentina Tereshkova. Por fim, em 1965, aterrissava suavemente em Vênus a sonda Venera, primeiro objeto humano a pousar em outro planeta.