Velhos pelegos tentam dividir e enfraquecer metalúrgicos de São José dos Campos

Coincidentemente no início de mais uma Campanha Salarial e da luta contra a Reforma Sindical, um grupo, com apoio da Embraer e da CUT, está criando um sindicato no setor aeroespacial. O objetivo é óbvio: dividir os metalúrgicos e enfraquecer a luta dos trabalhadores.

Esta iniciativa já é a Reforma Sindical sendo colocada em prática, mesmo estando o projeto travado no Congresso.

A Reforma Sindical, feita juntamente pelo governo, patrões, CUT e Força Sindical, além de abrir caminho para a redução dos direitos trabalhistas, permite a criação de mais de um sindicato da mesma categoria por base. O que pode ser feito pelas empresas para criar sindicatos submissos e pelegos.

O sindicato fantasma está sendo criado por pessoas da Articulação Sindical, que sempre estiveram ao lado da empresa, tendo até reduzido em 10% o salário dos funcionários da Embraer, em 1996.

Com apoio da Embraer, este grupo está criando um sindicato fantasma, de fachada, para implementar a política governista e de parceria com os patrões da CUT.

Embraer quer sindicato submisso
Este sindicato seria muito conveniente para a Embraer e para a central pelega que hoje apóia incondicionalmente o governo Lula.

A Embraer não tem nenhum respeito pelo direito de organização dos trabalhadores. A prática da empresa sempre foi de perseguição aos dirigentes sindicais. Por exemplo, já afastou dois diretores, Edmir e Reinaldo, por estarem à frente das lutas dos trabalhadores.

A empresa impede até a distribuição do jornal do Sindicato nas portarias da fábrica. A repressão aos funcionários também é muito grande. Por mais de uma vez, a empresa já deu centenas de advertências, simplesmente em razão da participação em assembléias.

Ter um sindicato fantoche, submisso e pelego para negociar redução de direitos é o sonho da Embraer.

Membros do sindicato fantasma já reduziram salário
Este grupo da Articulação Sindical, que está como testa de ferro neste sindicato fantasma, fala em “novo sindicato”, mas de novo ele não tem nada. São os mesmos “velhos pelegos” que já traíram os trabalhadores.

Em 1996, quando eram diretores do Sindicato, eles reduziram o salário dos trabalhadores da Embraer em 10%.

Em 1997, eles ocuparam o Sindicato dos Metalúrgicos com jagunços armados. A categoria respondeu à truculência e métodos vergonhosos deste grupo. Nas eleições foram derrotados, o que se repetiu posteriormente por mais duas vezes.

Também não é a primeira vez que eles tentam dividir a categoria. Ainda em 1997, eles tentaram criar outro sindicato fantasma em Caçapava. Sem respaldo nenhum na base, também foram derrotados.

O repúdio total que tiveram na categoria ocorreu em 2001, quando fizeram uma campanha de calúnias contra a entidade. Derrotados e condenados pela Justiça, acabaram expulsos pelos metalúrgicos em uma assembléia histórica.

Vamos defender o Sindicato dos Metalúrgicos

Estão tentando enfraquecer a nossa organização para manter a exploração e os baixos salários. Mas não vão conseguir.

Vamos aumentar a nossa mobilização nesta campanha salarial e impedir esta divisão. Não vamos aceitar pressão da empresa.

O Sindicato dos Metalúrgicos é o verdadeiro representante dos trabalhadores da Embraer e de todas as empresas metalúrgicas da região, como a GM, Bundy, LG.Philips e outras. Além das lutas, mantemos colônia de férias, departamento jurídico, convênios com universidades e outros serviços aos sócios.

Temos uma história e tradição de luta. Para enfrentar esta divisão, vamos fortalecer nosso Sindicato. Vamos aumentar o número de sócios e fortalecer assim a luta por salário, empregos e direitos.