Unificar as greves para derrotar a política de arrocho de Lula

Funcionalismo marca greve geral a partir de 10 de maio.A greve na Previdência começou forte no dia 20 de abril. No INSS, o movimento atinge 15 estados, com 60% de trabalhadores parados, e cresce, dia-a-dia, juntando-se às demais categorias em luta, como os auditores fiscais, os agentes da Polícia Federal, os advogados da Advocacia Geral da União. Além desses, os funcionários do Banco Central (BC), os servidores da Superintendência dos Seguros Privados (Susep) e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) realizaram, no dia 29, uma greve de 24 horas, exigindo reposição salarial.

O governo Lula está intransigente e, nas mesas de negociação, tenta enrolar e manipular os servidores, não oferecendo sequer um décimo da pauta de reivindicação. E, ainda, ameaça os trabalhadores com corte de ponto.

Como resposta, os trabalhadores pretendem intensificar o movimento. Mas, para derrotar a política do governo, é decisiva a unificação de todas as lutas. Por isso, no dia 10 de maio, para quando está marcado o início da greve unificada dos servidores federais, é importante fazer atos e passeatas de todas as categorias em luta e desenvolver uma ampla campanha de solidariedade às greves.

Post author Inez Marques, de Brasília (DF)
Publication Date