Trabalhadores do ensino privado da Paraíba conseguem reajuste de até 36,36%

Após quatro assembléias e várias mesas de negociação na Delegacia Regional do Trabalho, os trabalhadores do ensino privado da Paraíba decretaram estado de greve, com indicativo para a segunda, dia 9 de maio.

Na sexta-feira, dia 6, ocorreu uma última mesa de negociações na DRT. Quase 100 trabalhadores acompanharam a negociação, pois estava marcada uma assembléia no auditório da DRT, que decidiria sobre a posição da categoria diante da proposta dos patrões. Depois de uma estafante negociação, foi fechado um acordo entre a classe patronal e os trabalhadores do ensino privado da Paraíba.

Todas as cláusulas sociais do dissídio anterior foram mantidas, e os reajustes foram variados: 13% de piso para profissionais não-docentes, professores do ensino infantil e fundamental 1, 36,36% para professores do fundamental 2 e ensino médio e 7,33% para ensino superior e trabalhadores que recebem acima do piso.

A mobilização e participação da categoria nas atividades do sindicato e do congresso foram primordiais para este acordo, que finalmente faz com que o piso do trabalhador de ensino privado da Paraíba (vergonhosamente) deixe de ser o menor do Brasil.