Trabalhador da GM pode retornar à greve

Em assembléia realizada hoje, às 5h30, os trabalhadores da GM de São José dos Campos aprovaram o prazo de uma semana para a empresa retomar as negociações sobre a PLR (Participação nos Lucros e Resultados) e garantir o pagamento da 1ª parcela no próximo dia 16. A GM desmarcou a negociação que teria na quarta-feira passada com o Sindicato e anunciou a suspensão das negociações. Alegou que passa por dificuldades e que há quatro anos não tem lucro.

Ano passado, a GM pagou uma PLR de R$ 2.800.00. Este ano, os trabalhadores estão reivindicando R$ 3.800,00.

Na greve de seis dias realizada pelos trabalhadores durante a campanha salarial, no mês de abril, a empresa havia se comprometido a efetuar o pagamento da 1ª parcela no dia 16 de junho. As negociações entre o Sindicato dos Metalúrgicos seriam apenas para discutir o valor da PLR deste ano e as metas a serem atingidas.
“A GM pensa que trabalhador é palhaço. Nós não estamos brincando. Se não houver pagamento da primeira parcela dia 16 é greve. Se a GM diz que está passando por dificuldades, imagina o funcionário. Não vamos permitir que mais uma vez o peso da crise caia nas costas do trabalhador”, disse o presidente do Sindicato, Luiz Carlos Prates, o Mancha.

Na última greve a empresa disse que teve um prejuízo de R$ 30 milhões.
A GM possui cerca de 8.500 mil trabalhadores e fabrica o Corsa, Zafira e S10.
A GM Powertrain tem cerca de 1.500 funcionários e faz motores.